Fernanda Garay

Fernanda Garay é uma das jogadoras ranqueadas (Marcelo Régua/Inovafoto/CBV)

Web Vôlei
14/03/2019
21:14
São Paulo

Os clubes decidiram pela manutenção do ranking para atletas de 7 pontos para a temporada 2019/2020 da Superliga Cimed feminina de vôlei.

Em votação, apenas o Dentil/Praia Clube, atual campeão nacional, quis a exclusão total da regra, já derrubada no masculino.

Desta forma, os clubes seguirão com a limitação de apenas duas atletas com pontuação máxima. Exemplos: Gabi e Natália no Itambé/Minas, Fernanda Garay e Fabiana no Dentil/Praia Clube, Dani Lins e Thaisa no Hinode/Barueri.

CBV e clubes voltarão a se reunir, em data ainda indefinida, para votação de quais jogadoras terão os sete pontos. E certamente neste tema haverá mais discordâncias.

Atualmente, as bicampeãs olímpicas Sheilla e Jaqueline não estão estão ranqueadas desde o ano passado. A oposto não atua desde a Rio-2016 e já demonstrou o desejo de voltar na próxima temporada. Já a ponta/líbero ficou inativa na atual Superliga, mas garante não ter encerrado a carreira. Alguns representantes de clubes já concordam em mantê-las fora da faixa de atletas ranqueadas.

Hoje, Tandara, que disputou a atual temporada na China, e Tifanny, do Sesi Bauru, também estão com ranqueamento máximo, totalizando oito com as seis atletas já citadas acima.

O tópico que costuma gerar mais polêmica é a inclusão de novas atletas nesta lista. A levantadora Macris, as centrais Carol e Adenízia e a ponta Drussyla são nomes que deverão ser discutidos para a nova votação.