Dani Lins

Dani Lins assinou contrato para defender o Hinode Barueri na próxima Superliga (Foto: Gaspar Nóbrega/Inovafoto)

Jonas Moura
03/07/2018
08:10
Rio de Janeiro (RJ)

O momento é de recomeço para Dani Lins, campeã olímpica com a Seleção Brasileira de vôlei em Londres-2012 e um dos destaques do time verde e amarelo na Copa Pan-Americana, que começa nesta sexta-feira, em Santo Domingo, na República Dominicana.

Fora da última temporada de clubes devido ao nascimento da filha Lara, de quatro meses, fruto do casamento com Sidão, ela tenta a cada dia recuperar o ritmo visando ao Mundial, principal meta do ano, entre 29 de setembro e 20 de outubro, no Japão. Uma das poucas taças que a Seleção não tem.

Para evitar o desgaste das longas viagens e se manter próxima da filha, Dani também não foi integrada ao elenco que disputou a Liga das Nações e terminou em quarta lugar, no último fim de semana. Na ocasião, Roberta e Macris foram as escaladas. Agora, a vontade de retornar é grande.

– Por ora, tenho somente a Copa no plano com a Seleção. Nós vamos nos reunir depois do campeonato, junto com as atletas que disputaram a Liga das Nações, para fazer a programação do resto do ano. Eu quero muito disputar o Mundial, no Japão – afirmou a levantadora, ao LANCE!.

Em Saquarema, durante os treinamentos, Dani vem dando boas perspectivas para a comissão técnica, que será chefiada por Wagão na Copa Pan-Americana.

– Este ano tem sido atípico pra mim, mas no melhor dos sentidos. Minha filha nasceu em fevereiro, e foi a maior felicidade e realização pra mim quando ela veio ao mundo! Hoje, depois de um período de recuperação, estou treinando normalmente, fazendo coletivo e outras atividades – disse a atleta.

A jogadora não disputa uma partida oficial desde a decisão da Superliga 2016/2017, quando foi vice-campeã com o Vôlei Nestlé, após perder para o Sesc-RJ. Ao saber da gravidez, o clube não renovou o contrato com a campeã olímpica. Após uma temporada como espectadora, ela voltará ao ritmo intenso este ano. Afinal, assinou contrato com o Hinode Barueri, do técnico Zé Roberto.

– As expectativas são as melhores possíveis. Estou muito feliz em fazer parte desse projeto, e tenho certeza de que será muito bom para mim. Vou crescer como atleta e quero com esse grupo conquistar títulos e trazer muita alegria para a torcida em Barueri.

Na nova casa, Dani se juntará às ponteiras Amanda e Maira, às centrais Milka, Vivian e Lays, e à levantadora Juma. O time está perto de confirmar a permanência da central Thaisa. A oposto polonesa Skowronska e a ponteira Jaqueline, que chegou a treinar como líbero na Seleção, ainda negociam. A líbero Natinha, a oposto Sara e a ponta Tainara seguirão no elenco. A Superliga começará no final de outubro.