Carol Solberg/Maria Elisa vence, e Ágatha/Duda tem primeiro revés

Carol Solberg será julgada (Foto: Divulgação FIVB)

Web Vôlei
10/10/2020
19:20
São Paulo

O Ministério Público Federal do Rio de Janeiro protocolou um pedido de explicações à Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) sobre o caso Carol Solberg. Segundo o procedimento, existe a preocupação com a possibilidade de cerceamento da liberdade de expressão. A jogadora foi denunciada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por ter gritado "Fora, Bolsonaro!" durante uma entrevista ao SporTV, ao término da etapa de abertura do Circuito Brasileiro de vôlei de praia.

A CBV tem dias para responde ao procedimento protocolado pelo procurador Leandro Mitidieri Figueiredo. O julgamento de Carol Solberg está marcado para a próxima terça-feira, às 18h.

No documento, o procurador ressalta o caso de Wallace e Maurício Souza, durante o Campeonato Mundial de 2018, quando eles fizeram o "17" com as mãos após uma partida da Seleção, em alusão ao número do então candidato à presidência Jair Bolsonaro. E pergunta quais medidas foram tomadas.

Veja a íntegra do pedido do Ministério Público:

1) Ao MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO em Saquarema solicitando que informe se há procedimento versando sobre o mesmo fato naquele órgão;

2) À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE VÔLEI para que informe, no prazo de 10 (dez) dias:

2.1) Qual regulamento específico (citando o dispositivo) teria sido descumprido pela atleta CAROLINA SALGADO SOLBERG e quais os fundamentos para a limitação da liberdade de expressão no âmbito esportivo adotada pela entidade;

2.2) Como a entidade procede ou procedeu em relação a casos análogos de manifestação política por parte de atletas, notadamente o ocorrido em setembro de 2018, em que dois jogadores da seleção brasileira de vôlei comemoram uma vitória da equipe fazendo alusões a número de candidato à presidência;

2.3) O montante de recursos públicos federais oriundos da Lei Agnelo Piva recebidos no presente ano de 2020 e se o evento do "Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia Open" utilizou tais recursos;

3) Ao SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA DESPORTIVA DO VOLEIBOL (STJD), solicitando, no prazo de 10 (dez) dias, cópia integral dos autos do processo envolvendo a atleta CAROLINA SALGADO SOLBERG, assim como informação sobre sua tramitação"