Minas festeja o título

Minas festeja o título (William Lucas/Inovafoto/CBV)

Web Vôlei
07/02/2021
00:32
Rio de Janeiro

Sem dúvida, a melhor partida do campeonato. Sobrou emoção, coração, ralis e viradas dos dois lados. Depois de tomar uma virada impressionante no quarto set – vencia por 24 a 21, teve três match points e acabou perdendo -, o Itambé Minas encontrou forças para ganhar o tie-break, quando também perdia por 13 a 12, para conquistar seu segundo título da Copa do Brasil da sua história. A taça veio com a vitória sobre o maior rival, o Dentil Praia Clube, por 3 sets 2 – parciais de 25-22, 25-27, 27-25, 25-27 e 15-13 – na noite deste sábado, no Centro de Desenvolvimento do Voleibol (CDV), em Saquarema (RJ).

O Praia amargou seu quinto vice-campeonato na competição. Bateu na trave nas edições de 2016, 2018, 2019, 2020 e 2021. O jogo desta noite reeditou a decisão de 2019 também vencida pelas minastenistas. Com o resultado, o Minas garantiu vaga no Sul-Americano de Clubes de 2021, ainda sem data e sem local definidos. A CBV também ainda não esclareceu como será escolhido o segundo representante brasileiro no torneio – por convite ou pelo resultado da Superliga.

Foram mais de 3 horas de jogo. E a vitória do Minas foi nos detalhes. Nos mínimos detalhes. A soma dos pontos dos cinco sets teve diferença de apenas dois pontos: 117 a 115. As minastenistas marcaram 18 pontos de bloqueio contra 15 do Praia. Fernanda Garay foi a maior pontuadora do jogo, com 28 pontos e grande responsável pela virada do Praia no quarto set, quando manteve o time de Uberlândia vivo na partida. A equipe do Triângulo fez sua quarta final na temporada. Venceu a Supercopa e o Super Vôlei e perdeu o Campeonato Mineiro e a Copa Brasil para o Minas.

– Jogar contra o Praia é sempre assim. Elas sabem como a gente joga, a gente sabe como elas jogam, elas têm um bloqueio muito forte… O importante é que o time teve paciência de ir galgando ponto a ponto, ir ajudando uma a outra. Foi muito tenso, estou ainda quase morrendo (risos), fiquei muito nervosa – disse a bicampeã olímpica Thaisa em entrevista ao SporTV no final da partida.

Venceu a equipe que errou menos nos três últimos pontos do tie-break. Os sets foram equilibrado, como esperado. Os dois times mexeram em suas formações iniciais paras tentar minimizar os erros e surpreender o adversário. Kasiely entrou no lugar de Pri Daroit no terceiro set e ficou até o final. No Praia, Brayelin, inconstante, foi substituída várias vezes por Monique.

O Praia buscou os segundo e quarto sets, com viradas incríveis, e o Minas fez o mesmo, nas terceira e quinta parciais. Na segunda parcial, as mineiras chegaram a abrir 5 pontos de vantagem numa boa passagem no saque com Pri Daroit. Depois, foi a vez de Claudinha criar raízes na área do saque para fazer o time de Uberlândia virar. Na terceira parcial, o Praia teve 23 a 20 e 24 a 22, mas as mineiras empataram com Thaisa, no bloqueio. O final do set foi catimbado, com muitas reclamações e pedidos de desafios. Novamente num bloqueio da bicampeã olímpica, o Minas fechou o set em 27 a 25.

O quarto set também foi emocionante. O Minas abriu 24 a 21, mas permitiu o empate em 24 e depois em 25, após Macris forçar a jogada com Thaisa três vezes, mesmo com o passe B. Megan atacou mal e fez rede e a equipe do Triângulo virou em 25 e, num ace de Fernanda Garay, fechou o set em 27 a 25, levando a partida para o tie-break.

O time minastenista abriu 7 a 5 no quinto set, mas o Praia virou para 8 a 7, aproveitando um contra-ataque com Anne Buijs e comandou a vantagem o 13º ponto. O Minas empatou, Monique errou a bola seguinte e, num contra-ataque em que Garay teve duas chances de matar o ponto, coube à capitão Carol Gattaz atacar a bola do título.