Felippe Rocha
19/11/2020
21:04
Rio de Janeiro (RJ)

O jogo do Vasco contra o Fortaleza, de poucas emoções, se encaminhava para 0 a 0 quando o técnico Ricardo Sá Pinto substituiu o meio-campista Leonardo Gil. Não por coincidência, o Cruz-Maltino não chutou mais a gol e sofreu pressão do time visitante na noite desta quinta-feira, em São Januário. O português explicou que a substituição de seu jogador mais lúcido na partida foi por uma necessidade física e por ambição de um melhor resultado.

- Se eu puder, eu mantenho ele (Gil), mas ele estava com fadiga. A qualquer altura poderia ter um gol no jogo. Poderia ser o Andrey também a sair, mas foi uma alteração devida à fadiga, não pelo rendimento. Mas alguma coisa teríamos que fazer porque não tínhamos o controle do jogo. Já estamos há sei lá quantos jogos sem sofrer gol. Tivemos chances, eles também. São uma boa equipe, (a vitória) poderia ser de um lado ou para o outro. Queremos que seja sempre para o nosso lado - pregou Sá Pinto.

-> Confira a tabela do Campeonato Brasileiro

A substituição citada teve, por outro lado, a entrada de Marcos Junior. Mas foi justamente neste momento que o Fortaleza conseguiu se impor na partida. A questão física dos jogadores - ainda mais com a chuva e o gramado pesado - foi citada pelo treinador como um fator para o rendimento abaixo do esperado.

O próximo desafio do Vasco é neste domingo. O adversário é o São Paulo, no estádio do Morumbi.

Ricardo Sá Pinto
Ricardo Sá Pinto analisou empate do Vasco e explicou mexidas (Matias Delacroix//AFP)