Alexander Zverev

Tennis Australia

Tênis News
21/08/2020
16:05
Nova York

O alemão Alexander Zverev está na "bolha sanitária" de Nova York onde se prepara para a disputa do Masters de Cincinnati e do US Open. O jovem de 23 anos comentou o início em competição da parceria com o ex-top 3, David Ferrer.

A dupla, Ferrer e Zverev, trabalhou junta por algumas semanas na Espanha ainda durante a quarentena da COVID-19 e definiu que seguiria com a retomada do circuito. Porém, Ferrer optou por não viajar para a bolha de Nova York e se unirá ao alemão e o restante da equipe durante a gira europeia.

"Ele é exatamente como ele era em quadra. Ele é assim como treinador. Não posso pedir por mais ”, disse Zverev em fala destacada pelo site da ATP. “Ele era conhecido como o maior lutador, o maior competidor do mundo ... Ele está superando todas as expectativas que eu tinha dele como treinador. É maravilhoso", completou.

Zverev já teve dois ex-números 1 do mundo como treinadores, Ivan Lendl e Juan Carlos Ferrero, ao lado de seu pai, Alexander Zverev Sr, e encontrou maior consonância com Ferrer, a quem aposentou do circuito mundial em maio de 2019 em Madri. "Nossas personalidades são extremamente semelhantes, o que você não pensaria por causa de nossos estilos de jogo e como estamos na quadra. Nos damos muito bem e durante a gira europeia ele vai estar lá. Infelizmente, ele não pôde vir aqui, mas estou animado com o que está por vir", pontuou.

David Ferrer foi o primeiro tenista top que Zverev enfrentou no circuito profissional, ainda aos 18 anos no ATP 500 de Hamburgo, na Alemanha, em 2015. De lá até a aposentadoria de Ferrer foram 8 encontros e o alemão entende como um diferencial do novo treinador, que conhece da perspectiva de jogador seus pontos fortes, da mesma forma como conhece estratégias para vencê-lo.

"Ele veio imediatamente com um caderno e disse: ‘Ok, isso, isso, isso e aquilo’. Ele é extremamente organizado. Nós treinamos juntos e se ele vem depois de duas horas de treino que eu não estou fazendo isso ou aquilo bem, ele entraria no YouTube e ficaria olhando vídeos de dois ou três anos atrás [para ver] o que eu estava fazendo melhor naquela época, o que estou fazendo de melhor agora, como melhorei e como meu corpo se desenvolveu. Ele tem feito muitas coisas para melhorar meu jogo", conclui.