Stan Wawrinka em seu gesto para enfatizar lado mental de jogo

Foto: USTA

TÊNIS NEWS
10/08/2020
10:14
Genebra (Suíça)

Stan Wawrinka, ex-top 3 e dono de três títulos de Grand Slam, não vai disputar o US Open e retornará jogando dois challengers em Praga, na República Tcheca, e depois Roma e Roland Garros. O tenista afirmou que ainda há dúvidas sobre o Aberto dos EUA.

"Durante esses meses estava feliz porque podia pasar muito tempo em casa com minha família. Nunca antes havia tanto descanso que não fosse por uma lesão. Para ser honesto, não sentia saudades do tênis. Teria sentido saudade se não fosse mais jogar no ano, mas sabendo que em agosto voltariam os torneios, não senti saudades. Amo o tênis e sim sigo jogando com emoção que sinto cada vez que entro em quadra", disse Stan, atual 17º colocado, ao RTS.



"Nesse momento me encontro muito bem na parte física e mental. Decidi me inscrever em dois challengers com a finalidade de ir pegando ritmo competitivo antes dos grandes torneios no saibro".



Sobre o US Open, ele respondeu: "Não quero viajar aos Estados Unidos nestas condições. Atualmente em Nova York as coisas vão muito mal e não vou me expôr. Além do mais a gira de torneios que virá depois na Europa será muito dura por isso é preciso me preparar bem e evitar conestionar muito o calendário. Se Washington fosse mantido talvez tivesse mudado de opinião e ido aos EUA. Finalmente se suspendeu e somamos a incerteza que há com o tema da quarentena, decidi não viajar. Ainda há muitas dúvidas sobre a celebração do US Open".

"O tênis será o último esporte a voltar para a normalidade. Anteriormente tivemos algumas exibições em que as coisas foram bem e outras nem tanto. Muitos culparam o Novak pelo Adria Tour, mas ele só seguiu qualquer outro jogador. Obviamente deveria ter tido mais cuidado. Não me corresponde ter que dar lições".