Kevin Anderson em ação no ATP Finals

Após duas vitórias em dois jogos, sul-africano Kevin Anderson está com um pé na semi do Finals (Foto: Divulgação)

Guilherme Gomes Pinto
14/11/2018
14:55
Londres (ING)

Antes do Finals começar, muita gente apostava que o sul-africano Kevin Anderson seria um dos jogadores mais perigosos entre os oito finalistas do torneio que reúne os melhores do ano em Londres. Campeão em 2017, mas ausente este ano, o búlgaro Grigor Dimitrov chegou a sugerir que, fora Djokovic e Federer, Anderson seria um forte candidato ao título. Ele estava certo.

Após bater na estreia o austríaco Dominic Thiem, Anderson não tomou conhecimento de Kei Nishikori. Atropelou o japonês por 2 a 0, com direito a pneu no primeiro set (6/0 e 6/1). E fez isso contra um adversário que dois dias antes havia superado Roger Federer até com certa facilidade.

"Foi uma atuação entre as melhores que tive na carreira", disse ele após o massacre. Ainda assim, garantiu que o jogo não foi tão fácil como aparentou. "Às vezes é complicado quando você tem um set tão dominante como o primeiro. Isso pode até atrapalhar na concentração. Mas mantive a pressão o tempo todo e estava bem confiante".

O início fulminante no Finals é especial por várias razões. Mesmo já estando com 32 anos, é a primeira vez que Anderson disputa a competição. Ele e o também estreante John Isner, 33, são os mais velhos jogadores a disputar o torneio desde 1972. As coincidências com o americano não param por aí. Rivais desde os tempos da universidade, tornaram-se profissionais no mesmo ano (2007), possuem dois títulos cada em 2018 e obtiveram o melhor ranking na mesma data, justamente após disputarem entre si uma incrível semifinal de Wimbledon que durou 6h36min (vencida por Anderson).

O que está bem diferente é a campanha de ambos em Londres.  Enquanto o sul-africano está com um pé nas semifinais com duas vitórias, Isner perdeu em sua estreia para Djokovic no outro grupo da competição e volta à quadra nesta quarta à noite para enfrentar o croata Marin Cilic. Anderson enfrentará Roger Federer na última rodada da fase de grupos, quinta-feira. E poderá ser o causador da eliminação do suíço do torneio.

"É sempre um grande desafio estar com ele na quadra. É uma grande oportunidade. Indiscutivelmente, o melhor tenista de todos os tempos. Estou ansioso para enfrentar o Federer", disse.