Shuai Peng

Divulgação

TÊNIS NEWS
10/08/2018
14:29
Londres (Inglaterra)

A chinesa Shuai Peng, atual 20ª do mundo nas duplas e ex-líder do ranking, emitiu um comunicado onde nega a acusação de corrupção. A tenista foi suspensa por três meses pelo TIU, a Unidade de Integridade do Tênis.

A acusação indica que ela teria subornado a parceira com a qual jogaria Wimbledon em 2017 para se inscrever com outra jogadora, mas a jogadora afirma que a mesma, a belga Alison Van Uytvanck, havia se lesionado e desistido sem qualquer tipo de oferta. Peng disse sim que ofereceu dinheiro da 1ª rodada apenas para Mirza que teve que mudar sua programação para tentar jogar com ela.

"Prometo que nunca tentei tirar nenhuma jogadora de duplas da chave na minha carreira. No Wimbledon do ano passado minha parceira seria Van Uytvanck pois minha parceira na época estava machucada e aconteceu o mesmo com Mirza. Meu ex-técnico se confundiu na comunicação com o técnico dela. O organizador pensou que havia algum desentendimento entre nós na época e fui questionada pelo TIU e avisada para explicar a situação para a WTA em Londres com a Van Uytvanck. Depois de saber as regras fui informada que eu e Mirza não poderíamos formar outra dupla então confirmei com a Van Uytvanck. Esperei ela por três horas após assinar a lista, mas ela não apareceu. No primeiro dia recebi a mensagem que ela tinha desistido da dupla por lesão. A desistência foi decisão pessoal dela e nunca dei dinheiro a ela para forçar isso. Naquele momento eu e Mirza queríamos muito formar a dupla e ofereci meu prize money de primeira rodada para o aluguel da casa dela e mudança no calendário feita pelo meu ex-treinador. Além do mais não sei nada da comunicação do meu ex-técnico com a Van Uytvanck. Não quero aposentar por conta dessa punição e vou consultar meu advogado para decidir se apelo ou não contra o TIU".