Jorge Lacerda, ex-presidente da CBT

Divulgação

Tênis News
26/12/2018
13:11
São Paulo (SP)

O ex-presidente da CBT, Jorge Lacerda, e o ex-comentarista de tênis dos canais SporTV, Dacio Campos, foram condenados a quatro anos de prisão. Os motivos são os desvios de verbas da Lei do Incentivo ao Esporte. A informação foi revelada nesta quarta-feira, pelo blog "Olhar Olímpico", do "Uol".

A pena, sancionada pela juíza federal Raecler Baldresca, será revertida em prestações de serviços à comunidade ou à entidades públicas, além do pagamento de um salário mínimo por mês a uma entidade pública ou privada. Outro a ser condenado com a mesma sentença é Ricardo Pinto Marzola Júnior, dono da Brascourt Pisos Esportivos. Cabe recurso na decisão.

Lacerda comandou a entidade máxima do tênis no país, a CBT, entre 2004 e 2016, e a deixou após várias polêmicas. Ele é o antecessor do atual presidente Rafael Westrupp. Já Dacio fez parte da equipe do canal por assinatura até o começo de 2017.

Para tal decisão, a juíza entende que houve a comprovação do crime de peculato, além de "desvios de recursos captados a partir da autorização obtida pelo convênio com o Ministério do Esporte por Jorge Lacerda em prol da Premier Sports Brasil, empresa possuída e administrada por Dacio Campos, e em favor de Ricardo Marzola, dono e administrador da Brascourt".

Relembrando o caso

Entre 2010 e 2011, o projeto de Lei de Incentivo ao Esporte encaminhou à CBT um valor de R$ 600 mil para a realização do Grand Champions Brasil 2011, torneio de tênis que ocorreu entre 26 e 29 de maio de 2011, em São Paulo.

A Premier Sports Brasil, empresa de Jorge Lacerda, recebeu grande parte deste montante (R$ 400 mil), que foi, segundo a sentença divulgada hoje, desviada por Jorge. Junto com Dacio e Ricardo, eles teriam desviado cerca de R$ 480 mil.