Marcelo Melo na Copa Davis 2019

Divulgação/CBT

Tênis News
31/01/2019
18:12
Uberlândia (MG)

Monteiro, Rogerinho, Melo e Soares terão a missão, a partir de sexta-feira, de colocar o Brasil nas finais da Copa Davis. Para isso, precisam superar a Bélgica em Uberlândia. A dificuldade, mas a confiança por jogar em casa são os sentimentos dos brasileiros.

Veja mais:
Monteiro abre duelo para o Brasil contra Bélgica na Copa Davis

Sobre um eventual favoritismo pelo fato do ex-top 10 e atual número 21 do ranking, David Goffin, não estar presente, Monteiro, que abrirá o confronto a partir das 16h da sexta contra Arthur De Greef, destacou a postura que a equipe deve tomar em quadra.

"É complicado. Temos um time forte nas duplas, o Rogério está jogando bem, eu também, e o momento está do nosso lado. Pode soar como um clichê, mas é isso: vamos ver quando os jogos começarem. Mesmo no futebol, vemos equipes grandes e ricas perdendo para clubes pequenos. Temos que estar alertas, motivados e deixar tudo na quadra", reforçou.

Já o capitão do time nacional, João Zwetsch, enfatizou o apoio que a torcida sempre dá em competições assim. Para ele, isso é fundamental para o sucesso no duelo.

"Jogar em casa é sempre bom. É uma sensação calorosa saber que estamos cercados por pessoas que estão sempre dispostas a nos ajudar. A multidão faz uma grande diferença. A Copa Davis é sempre uma competição em que as emoções desempenham um papel importante", disse Zwetsch.