Marion Bartoli

Divulgação

Tênis News
19/08/2020
14:37

Em mais uma participação no podcast TennisMajor, a francesa Marion Bartoli, campeã de Wimbledon em 2013, voltou a gerar polêmica ao afirmar que quem vencer o US Open deste ano não se sentirá campeão de Grand Slam.

Bartoli conversava com o apresentador Josh Cohen e os convidados, o jornalista norte-americano Ben Rothenberg e o tenista Noah Rubin, sobre a realização do US Open mesmo ainda com a pandemia da COVID-19 ocorrendo com força nos Estados Unidos.

A ex-tenista recordou que todos os dias tenistas do mundo inteiro têm revido sua posição e desistido de participar do evento. Para ela, tudo isso se dá em razão da falta de segurança sentida pelos atletas através do protocolo estabelecido. Em sua primeira explanação, Bartoli ainda questiona: "Devemos tentar encontrar compensação para eles,talvez, em vez de colocá-los sob muitos riscos?”

Marion Bartoli ainda pontuou a questão física, já que todos os atletas estiveram parados por no mínimo cinco meses em razão da pandemia. Ela explicou que mesmo treinando duro, o corpo pode não aguentar a competição: "O problema é que seus músculos podem se sentir prontos, mas, na verdade, quando você está sob estresse, seus músculos precisam trabalhar o dobro para apenas fazer os mesmos movimentos. E, portanto, porque você não está nessa situação há quase seis meses, para muitos jogadores, seu corpo simplesmente não consegue lidar com isso”.

Com a desistência de grandes nomes do circuito, principalmente o feminino, incluindo os atuais dois campeões, o espanhol Rafael Nadal e a canadense Bianca Andreescu - que tem lesão no joelho, a discussão que se estabeleceu é se o US Open 2020 será ou não um Grand Slam. Bartoli opinou:

"Acho que o próprio jogador que ganhará o Aberto dos Estados Unidos nessas circunstâncias saberá que não ganhou o Aberto dos Estados Unidos. Você não pode realmente dizer que ganhou um Grand Slam quando 20 dos 32 melhores jogadores que não vêm, por exemplo, se isso está acontecendo. Você sabe que é apenas um torneio normal que você venceu, e você está feliz por ter vencido, de ter sido capaz de superar todas as dificuldades e ter enfrentado tudo isso, mas você não pode realmente chamar isso um Grand Slam quando há tantas pessoas que não jogam”.