Paraguai x Brasil

Neymar marcou seu gol logo no início da partida contra o Paraguai (Lucas Figueiredo/CBF)

Vinícius Faustini
08/06/2021
23:32
Assunção (PAR)

Em campo, a Seleção Brasileira comprovou que está tudo bem. Os comandados de Tite tiveram sua autoridade ao vencerem por 2 a 0 o Paraguai, nesta terça-feira, em jogo válido pela oitava rodada das Eliminatórias da Copa 2022, em jogo cercado de façanhas no Defensores del Chaco. Além de quebrar um tabu de 35 anos sem vencer os paraguaios em Assunção, o Brasil viu novo recorde de Neymar: o astro marcou seu 11º gol, igualando Zico e Romário como maior artilheiro do Brasil na competição. O camisa 10 ainda deu passe para o gol de Paquetá no fim.

Com 18 pontos em seis jogos, a Seleção lidera as Eliminatórias com 100% de aproveitamento. O Brasil volta a campo pela competição em setembro, quando encara o Chile. Antes, os brasileiros voltam suas atenções para a Copa América, em que estreiam neste domingo, contra a Venezuela, às 18h. 

> Veja a classificação das Eliminatórias da Copa do Mundo!

INÍCIO PROMISSOR

Bastaram três minutos para a Seleção Brasileira ruir a formação extremamente defensiva do Paraguai. Lançado na direita, Gabriel Jesus avançou como quis e cruzou da linha de fundo. A bola passou por Richarlison, mas caiu nos pés de Neymar. Com liberdade, o camisa 10 ajeitou a bola e tocou na saída do goleiro para estufar a rede e marcar seu 11º gol pelo Brasil nas Eliminatórias, igualando o recorde de Zico e Romário. A vantagem chegou a empolgar a equipe de Tite, que tentou investidas pelas pontas com Gabriel Jesus e Richarlison. 

OLHA O PERIGO...

Em desvantagem, o Paraguai trouxe calafrios para a Seleção aos sete. Da entrada da área, Alderete encheu o pé e obrigou Ederson se esticar para fazer uma grande defesa. Porém, a equipe tinha dificuldade para furar o bloqueio canarinho. Sua nova oportunidade aconteceu graças a uma jogada individual de Rojas, que se desvencilhou da marcação e esticou a Almirón. O camisa 10 finalizou e obrigou Éder Militão a travar. Os paraguaios ainda pediram pênalti de Alex Sandro após uma cobrança de escanteio, mas o árbitro mandou o jogo seguir.

CONFIANÇA RENOVADA PARA EM GOL ANULADO!

Começando a ter espaços pelas pontas, o Brasil se sentiu confiante para ir à frente. Fred lançou Richarlison, mas o atacante, na área, não conseguiu o domínio. Impetuoso, Gabriel Jesus se lançou à frente, trocando passes e até ousando jogadas de efeito. O "Pombo" também não se omitiu, ao buscar jogadas com Neymar, que se apresentou para tabelas pelo meio ou pelos lados. O camisa 10 ainda teve outras duas oportunidades: uma conclusão que parou na zaga e uma cobrança de falta que passou rente à trave.  

Nos últimos minutos, os comandados de Tite quase ampliaram a vantagem. Richarlison desceu pela direita, foi até a área e bateu colocado sem chances para Antony Silva. Porém, o árbitro Patrício Loustau invalidou a jogada por um  impedimento que posteriormente que foi confirmado pelo VAR.

LUTA PARA RETOMAR AS RÉDEAS

A volta do intervalo renovou os ânimos do Paraguai. Além de depositar as fichas no ímpeto de Almirón, a equipe de Eduardo Berizzo assustou a defesa brasileira em uma cobrança de lateral. Gustavo Gómez subiu mais do que os zagueiros e deu cabeceio traiçoeiro, obrigando Ederson a cair para defender. 

Aos poucos, a Seleção Brasileira retomou as rédeas da partida e teve bons momentos em jogadas pelo meio com Neymar e em tentativas de jogadas pela ponta-direita com Gabriel Jesus.

COLECIONANDO CHANCES PERDIDAS

Incisivos, os comandados de Tite aos poucos acharam brechas para finalizar. Neymar cobrou escanteio e Marquinhos surgiu entre os adversários para desviar, só que a bola passou rente à trave.  Em seguida, Richarlison cruzou. O goleiro Antony Silva quase se atrapalhou ao desviar para o meio da área e obrigou a zaga paraguaia a cortar. 

Em seguida, Gabriel Jesus avançou pelo meio e esticou até Neymar. O camisa 10 abriu caminho pela direita e bateu de perna esquerda. A bola caprichosamente passou rente à trave. Richarlison também encontrou uma lacuna pelo lado esquerdo mas, na hora de finalizar, Gustavo Gómez se antecipou.

VIVENDO PERIGOSAMENTE...

A escolha de Tite por promover a entrada de Douglas Luiz no lugar de Roberto Firmino arrefeceu os ânimos da Seleção. O Paraguai (que ficou mais ofensivo com as trocas promovidos por Eduardo Berizzo), foi ganhando espaço para ir à frente. A zaga brasileira se desdobrou para rechaçar cruzamentos e cobranças de falta. Em uma bola rasteira, Alberto Espínola arriscou finalização venenosa. Ederson saltou para encaixar.

MOSTROU ATITUDE

A reta final trouxe novo fôlego para o ataque brasileiro, que levou perigo em investidas de Everton. Neymar cobrou falta rente à trave. Em seguida, Gabigol tentou finalização rasteira, mas a bola foi para fora. 

Dos pés de Neymar, a Seleção voltou a ser conduzida ao caminho do gol. O camisa 10 passou como quis pelo meio e encontrou Paquetá na direita. O meia chutou rasteiro e a bola ainda bateu na trave antes de entrar. O Brasil venceu por 2 a 0, seguiu 100% nas Eliminatórias e, quebrado o tabu de 35 anos sem vencer no Defensores del Chaco, também comprovou em campo sua autoridade.

FICHA TÉCNICA:

PARAGUAI 0 x 2 BRASIL

Data-Hora: 08-06-21 - 21h30
Estádio: Defensores del Chaco, em Assunção (PAR)
Árbitro: Patrício Loustau (ARG)
Assistentes: Ezequiel Brailovsky (ARG) e Gabriel Chade (ARG)
VAR: Mauro Vigliano (ARG)

Cartões amarelos: Gustavo Gómez, Alderete, Junior Alonso e Bareiro (PAR), Fred (BRA)

Gols: Neymar, 3/1T (0-1) e Lucas Paquetá, 47/2T (0-2)


PARAGUAI: Antony Silva; Alderete, Gustavo Gómez e Junior Alonso; Robert Rojas, Gastón Jimenez (Ávalos, 15/2T), Ángel Cardozo (Cardozo, 34/2T), Villasanti (Óscar Romero, 27/2T) e Azramendia; Almirón e Ángel Romero (Samudio, 34/2T). Técnico: Eduardo Berizzo

BRASIL: Ederson; Danilo, Éder Militão, Marquinhos e Alex Sandro; Casemiro, Fred (Lucas Paquetá, intervalo) e Neymar; Gabriel Jesus (Gabigol, 35/2T, Roberto Firmino (Douglas Luiz, 27/2T) e Richarlison (Everton Cebolinha, 36/2T). Técnico: Tite