Tostão - Brasil 1x0 Paraguai - Eliminatórias de 1969 (Foto: Reprodução)

Tostão (na foto, celebrando o gol de Pelé): 'Foi uma coisa impressionante. Imaginar que tinham 183 mil pessoas torcendo pelo Brasil foi de arrepiar' (Foto: Reprodução)

Vinícius Faustini
12/06/2020
07:50
Rio de Janeiro (RJ)

A saga até a Seleção Brasileira conquistar seu tricampeonato mundial (que está em meio às comemorações pelos seus 50 anos) teve o Maracanã como um dos grandes passos para se concretizar. Ainda com o Brasil comandado por João Saldanha, o estádio abrigou a contagem regressiva da caminhada canarinha nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 1970.

A equipe vinha embalada por três vitórias convincentes fora de casa contra seus respectivos adversários no Grupo B (Colômbia, Venezuela e Paraguai). E no Maraca, a Seleção viu seu "Mineirinho de Ouro" se agigantar outra vez com a amarelinha.

- Foi o meu melhor momento ofensivamente na Seleção Brasileira. Tive o privilégio de ser artilheiro da Seleção nas Eliminatórias, foi um período no qual tive grandes atuações. Consegui na partida contra a Venezuela marcar três gols (o triunfo por 6 a 0 ficou completo graças a Jairzinho e dois gols de Pelé), um resultado que nos deu muita segurança para o jogo contra o Paraguai - afirmou Tostão, ao LANCE!

O camisa 9 marcou cinco de seus dez gols nas Eliminatórias da Copa do Mundo no Maracanã. Antes dos três sobre a seleção "Vinotinto", Tostão havia balançado as redes em duas oportunidades na goleada por 6 a 2 sobre a Colômbia no mesmo palco.

O craque detalhou como foi a sensação de medir forças com os paraguaios na última rodada, naquela partida que registra o maior público oficial do Maracanã: 183.341 pessoas compareceram ao estádio em 31 de agosto de 1969.

- Foi uma coisa impressionante. Imaginar que tinham 183 mil pessoas torcendo pelo Brasil é de arrepiar. Jogávamos pelo empate para garantir a classificação (apenas o primeiro colocado de cada grupo obtinha a vaga no Mundial).  Sair de lá com a vaga. após a vitória em um jogo difícil, foi emocionante - disse.

O esperado gol que ratificou a classificação saiu aos 23 minutos do segundo tempo. Edu chutou cruzado e o goleiro rebateu. Na sobra, Pelé encheu o pé para carimbar a passagem canarinha rumo ao México. Com 100% nas Eliminatórias, o tri ganhava forma.