José Carlos Peres Presidente do Santos

Presidente concedeu entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira no CT Rei Pelé (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

LANCE!
25/03/2019
21:15
São Paulo (SP)

O presidente José Carlos Peres tirou o dia para esclarecer dúvidas acerca do noticiário do Santos. Além de anunciar o pagamento dos salários atrasados dos jogadores, o mandatário do clube atualizou informações sobre diversos assuntos que têm aquecido o dia a dia do Peixe, como a ausência de Renato, a parceria para reforma da Vila ou a construção de um novo estádio, as tratativas para o patrocínio máster, as negociações por Jorge e a viagem para a China.

Veja o que disse Peres sobre cada assunto abordado pelos jornalistas na coletiva desta segunda-feira no CT Rei Pelé:

A AUSÊNCIA DE RENATO

"O Renato tem alguns problemas particulares, que não cabem serem discutidos aqui. Ele foi leal com o clube em todos os momentos, ele conversou comigo, tenho conversado bastante com ele, tem sido participativo, abriu mão dos salários, não recebeu nada de janeiro para cá, não quis receber, até por conta desse probleminha familiar que ele está resolvendo e estamos esperando até que ele consiga resolver. Estou conversando com ele para saber a data exata que ele possa voltar. Diria para você que é uma ausência momentânea para se resolver problemas particulares"

PARCERIA PARA REFORMA DA VILA OU NOVO ESTÁDIO

"A gente tem tido uma conversa há cerca de seis meses com esse grupo Bolton. Eu estive em Dubai para uma reunião com eles, mas eu sempre digo que o acordo está efetivado depois da assinatura. Eles virão aqui para o Brasil no dia 17 de abril, mais ou menos, a gente vai se reunir com o nosso departamento de marketing, com o nosso jurídico, com o jurídico deles e com o cara de marketing deles para chegar a um bom termo e estamos torcendo por isso. De positivo, de fechado, ainda nada. Acho até uma precipitação da parte deles em dizer que está fechado, espero que esteja mesmo, mas só vou contar com isso depois de assinado"

"Seria um retrofit (modernização) ou uma nova Vila, eles preferem que seja até uma nova, não é uma reforma é um novo estádio, para 21 ou 25 mil pessoas, e esse grupo é um grupo de investimento grande, muito grande em Dubai. Todo mundo sabe que é no Emirados Árabes que está o dinheiro do planeta, mais do que nunca é uma cidade que respira fundos de investimento, muitos fundos de investimento, cidade de negócio mesmo, para valer e nós estamos confiando no grupo. Estudamos bastante para não cometer erros, eles também trabalham com bitcoin, eles fizeram para as crianças da África e foram bem, os investidores colocaram dinheiro para ajudar a fome e a miséria que hoje existe lá. No nosso caso não estava incluído bitcoin, mas vamos ver os modelos que eles vão propor, o último modelo chegará com eles no dia 17"

"O pagamento (do investimento) seria por um determinado prazo de tempo, seria diluído em 20 ou 30 anos, não tenho esse parâmetro ainda. É um modelo que não está definido, por isso que qualquer coisa que se diga aqui é precipitar, então vamos esperar, dia 17 de abril está aí, quando eles estiverem aqui, se a coisa caminhar como nós esperamos, faremos a coletiva com vocês, eles vão explicar com gráfico, uma apresentação do projeto, se for efetivado. Mas mais uma vez eu digo, eu sou confiante, mas aprendi uma coisa na vida: a gente só pode anunciar depois de assinado"

"A princípio é retrofit (modernização), que hoje se utiliza muito no mundo inteiro, mas também há possibilidade de um projeto, no qual já está um arquiteto trabalhando. Na hora em que isso estiver elaborado, bem desenhado, nós vamos apresentar no conselho deliberativo do Santos e lá vai se discutir se é o melhor formato ou se uma nova Vila"

PATROCÍNIO MÁSTER

"Nós estamos com negociações em andamento com várias empresas, principalmente bancos digitais, mas a gente não pode adiantar nada, porque não foi fechado nada ainda, embora tenhamos tratativas com algumas opções"

NEGOCIAÇÃO POR JORGE

"Falando do Jorge, ainda estamos negociando, porque todo mundo sabe que houve uma troca de dirigentes lá no Monaco e isso acabou atrasando. Mas como ele não poderia jogar o Campeonato Paulista, a gente não correu tanto e eles também não correram tanto. É um jogador para disputar Copa do Brasil, e para disputar Campeonato Brasileiro. Em função disso, nos próximos dias é grande a possibilidade de encerrarmos essa negociação, estou com bastante expectativa e estou confiante nisso"

VIAGEM PARA A CHINA

"Eu estava na China e lá tomei conhecimento de que o Pato iria rescindir contrato. Essa nossa viagem foi totalmente paga pelo governo chinês, porque eles têm um grande interesse em fazer uma parceria com o Santos, que é o time de maior nome na China, todo mundo falou em Santos, todo mundo fica bem motivado"

"A China entendeu que até agora a liga deles hoje é profissional e traz jogadores de outros países, então o governo resolveu que, devido aos valores, se hoje o time contrata um estrangeiro por 10 milhões de dólares (R$ 40 milhões), ele é obrigado a pagar 10 milhões (R$ 40 milhões) para o governo. Então ficou difícil para eles, e o grande objetivo é trazer a molecada da base para eles formarem um time principal. Mesmo o sub-20 e o sub-23, eles precisam de suporte, eles entendem que o Santos é o time que mais trabalha com a base, que dá oportunidade, que tem experiência, e é isso que motivou a nossa viagem para conversar com eles" 

"Nós tivemos um suporte muito grande do governo, em todos os aeroportos havia uma figura do governo levando a gente e foi uma viagem muito produtiva, já deixamos alguma coisa fechada de fazer uma ajuda até no time principal, assim como com na seleção chinesa. Há possibilidade de eles virem para cá, fazer pré-temporada, muita coisa que a gente possa ajudar. O Santos precisa, urgentemente, de um Centro de Treinamento. A nossa grande meta é ter um CT para fazer esse intercâmbio, para dar suporte a esses países emergentes na questão do futebol"

"A China é forte em todos os esportes, eles têm títulos, eles disputam ombro a ombro com os EUA, quando é esportes olímpicos, mas para eles ainda falta o futebol, e o grande objetivo do governo chinês agora é esse. Para que eles possam crescer, para que eles tenham essa possibilidade de conquista olímpica, ou ir para as Copas"