Palmeiras x São Paulo - Felipão

Equipe de Felipão vive um jejum de gols pelo qual Palmeiras não passava há quase quatro anos (Divulgação/Twitter)

William Correia
09/04/2019
08:00
São Paulo (SP)

O 0 a 0 diante do São Paulo, no domingo, que culminou na disputa de pênaltis e a eliminação na semifinal do Campeonato Paulista, no Allianz Parque, foi o terceiro jogo seguido do Palmeiras sem balançar as redes. Um jejum de gols que não ocorria há quase quatro anos, protagonizado pela última vez por um time recém-reformulado após um quase rebaixamento no Brasileiro de 2014.

Em maio de 2015, o Verdão ficou no 0 a 0 contra o Joinville, em Santa Catarina, e perdeu por 1 a 0 para o Goiás, no Allianz Parque, ambos pelo Brasileiro, e 0 a 0 diante do ASA, em casa, na Copa do Brasil. Começava a era de Alexandre Mattos como diretor e Crefisa e Faculdade das Américas patrocinando o clube. A sequência minou o trabalho do técnico Oswaldo de Oliveira, que venceu o Corinthians por 2 a 0 no jogo seguinte, em Itaquera, mas empatou com Inter em casa depois, perdeu do Figueirense fora e acabou demitido.

Agora, a sequência sem balançar as redes é de três partidas: os dois 0 a 0 diante do São Paulo, tanto no Morumbi quanto no Allianz Parque, pelas semifinais do Campeonato Paulista, e a derrota por 1 a 0 para o San Lorenzo, na Argentina, pela Libertadores.

O último gol palmeirense ocorreu na vitória por 5 a 0 sobre o Novorizontino e foi marcado por Gustavo Scarpa, aos 31 minutos do segundo tempo do jogo disputado em 26 de março. Somando os acréscimos, são 305 minutos sem balançar as redes - quando chegou a fazer isso, o árbitro de vídeo apontou impedimento de Deyverson no último Choque-Rei.

Caso não marque gol sobre o colombiano Junior Barranquilla, nesta quarta-feira, no Allianz Parque, pela Libertadores, o Palmeiras, certamente, completará 30 dias sem fazer gol. O compromisso seguinte da equipe será somente no dia 25, diante do Melgar, no Peru, também pela competição continental.

Além disso, igualará a sequência de jogos sem balançar as redes do frágil time de 2014. Em novembro daquela temporada, o time do técnico Dorival Júnior ficou quatro partidas sem fazer gol: perdeu por 2 a 0 para Atlético-MG (como mandante no Pacaembu), São Paulo (no Morumbi), Sport (na inauguração do Allianz Parque) e Coritiba (no Couto Pereira, no Paraná).

Essa jornada sem balançar as redes fez parte de um período de seis partidas sem vencer do clube. O Verdão voltou a fazer gol na penúltima rodada, ao perder por 3 a 1 para o Inter, em Porto Alegre, e, na rodada final, ficou no 1 a 1 diante do Atlético-PR, no Allianz Parque. Chegou a 40 pontos, dois acima da zona de rebaixamento, um lugar à frente da faixa de descenso, com a torcida comemorando gol do Santos sobre o Vitória, então rival direto contra a queda.

Chama atenção a possibilidade de igualar marcar negativas da equipe de mais de quatro anos atrás. Depois de quase cair em 2014, o Palmeiras passou por uma reformulação, inclusive com as chegadas de Mattos e dos atuais patrocinadores. Conquistou a Copa do Brasil de 2015 e dois Brasileiros, inclusive o último. Mas sofre tanto para fazer gol quanto um time que esteve muito próximo do rebaixamento e do qual a torcida não gosta de lembrar.