A arbitragem de Vinicius Furlan no jogo de segunda-feira foi contestada pelo Palmeiras

Arbitragem de Vinicius Furlan no jogo de segunda-feira foi contestada pelo Palmeiras (Agência Palmeiras/Divulgação)

William Correia
15/02/2019
16:30
São Paulo (SP)

A violência de jogadores do Bragantino na vitória por 2 a 0 do Palmeiras, no Pacaembu, na segunda-feira, levou o Verdão a entrar com representação na Federação Paulista de Futebol. A reclamação foi pela atuação do árbitro Vinicius Furlan, que não aplicou cartões, por exemplo, em lances que machucaram o meia Gustavo Scarpa e o atacante Borja.

A entrada com representação é um costume da diretoria palmeirense em todos os campeonatos que disputa. A estratégia é para que os árbitros adotem uma postura diferente e de maior proteção aos jogadores, como pediu Dudu, escolhido para dar entrevista coletiva na Academia de Futebol nesta sexta.

- Nosso time dribla muito, tem jogadores muito leves na frete. Isso é normal de jogo, quem tem de tomar cuidado é a arbitragem, para proteger mais os jogadores. Não só os da frente, mas do meio-campo - defendeu o atacante.

- As outras equipes, quando fizermos falta forte, vão falar também, porque é do jogo. Mas precisamos procurar ter o máximo de cuidado para não se machucar, como aconteceu com o Gustavo Scarpa - continuou o camisa 7.

Neste Campeonato Paulista, o Palmeiras já tinha entrada com representação na FPF por conta da arbitragem na vitória por 1 a 0 sobre o Oeste, em Barueri, em 30 de janeiro. Na partida, o árbitro Salim Fende Chavez deixou impunes uma dura entrada em Edu Dracena e cotoveladas em Victor Luis e Deyverson.