Gustavo Scarpa contratou um personal trainer para trabalhar nas férias e voltar melhor fisicamente

Gustavo Scarpa destaca importância de sua questão física para estar bem nos jogos (Agência Palmeiras/Divulgação)

William Correia
28/03/2019
18:44
São Paulo (SP)

No ano passado, na volta da delegação do Palmeiras a São Paulo depois de vencer o Vasco e conquistar o título brasileiro, chamou atenção ver nos vídeos Gustavo Scarpa comendo bolachas enquanto muitos colegas bebiam cerveja. O meia já admitiu que Trakinas e leite condensado é uma de suas misturas preferidas, mas que ele tem abdicado. E, por isso, alcançou uma evolução física que explica suas atuações destacadas nesta temporada.

- Apesar das brincadeiras, esse negócio de Trakinas era só em dezembro. Eu me alimentava normalmente até, não comia muita besteira. Só que, agora, melhorei ainda mais a alimentação, aprendi bastante com o pessoal do Palmeiras a importância dos treinos de força na academia. Isso tem me ajudado bastante, sem dúvida nenhuma. Estou me sentindo muito bem fisicamente - comentou o camisa 14, feliz com os resultados físicos.

- Cheguei a bater no Palmeiras 66 kg, e cheguei com 67 kg. Mas ganhei 10 kg e diminuí o percentual de gordura. É sensacional. Graças à alimentação e treinos de força, que aprendi antes de vir para o Palmeiras com o personal trainer que contratei em Campinas. Meu corpo se adaptou muito rápido a essa mudança de treinamentos, o que tem me ajudado bastante. Espero evoluir mais. Quanto mais eu cuidar do meu corpo, mais vou jogar.

O trabalho físico cresceu antes mesmo de acertar com o Palmeiras, em janeiro do ano passado. Os exercícios com o personal trainer fizeram diferença rapidamente já no segundo semestre, quando ficaram resolvidas as pendências jurídicas da rescisão com o Fluminense - somente uma rara lesão no pé direito atrapalhou sua sequência entre agosto e outubro.

- Naquele período afastado por causa dos problemas com o Fluminense, fiquei três meses e meio parado e treinei bastante força na academia e jogava pelada, campeonatos de society e futsal. Achava que ia ficar muito tempo esperando uma oportunidade e, quando voltei, na viagem do Panamá, com três dias já estava jogando 45 minutos porque esses treinos me ajudaram muito - comemorou, repetindo como está mentalmente mais tranquilo.

- Já zerei. Assim que acabaram os perrengues do ano passado, já tinha zerado. Estou muito feliz, graças a Deus. Aprendi a me cuidar melhor, na questão de alimentação e treinamentos específicos. Estou me sentindo superbem. Os profissionais do Palmeiras têm me ajudado muito. Espero conseguir melhorar cada vez mais e continuar desempenhando um bom futebol.