Zé Roberto fez dois gols e participou o tempo todo de seu jogo de despedida

Zé Roberto fez dois gols e participou o tempo todo de sua partida de despedida (Agência Palmeiras/Divulgação)

William Correia
13/01/2019
15:40
São Paulo (SP)

Logo depois de seu jogo de despedida no Allianz Parque, Zé Roberto viu o time montado com o "Palmeiras de todos os tempos" e já avisou que, assim que for formatado o "time de lendas" do clube, já há um compromisso marcado. O ex-jogador quer promover uma partida de adeus seu na Alemanha, país em que mais venceu na carreira, e deseja ver as lendas do Bayern de Munique contra as do Palmeiras.

- A ideia de formar os "legends" do Palmeiras é pela possibilidade muito grande de fazer um jogo de despedida na Alemanha, no ano que vem, contra os Legends do Bayern do Munique. Seria o último clube em que joguei contra o clube em que joguei por mais tempo na carreira, seis anos. Seria em Munique, um grande jogo de despedida para os torcedores alemães - explicou o hoje assessor técnico do Palmeiras, e que atuou pelas lendas do Bayern em 2018.

- Hoje, reunindo essa galera aqui, percebi que dá, sim, para fazer os Legends do Palmeiras. É claro que alguns terão de se preparar um pouquinho mais, beber um pouco menos, cuidar um pouquinho mais da saúde. De repente, vai ajudá-los no processo de continuidade e longevidade de suas vidas, e também participar de uma maneira que represente bem o Palmeiras.

Confira outros temas abordados por Zé Roberto nesse domingo:

Conclusão da carreira
É um legado grande, pelo exemplo da carreira, pelas conquistas. Deixamos muita coisa positiva e espero que essa nova geração do futebol brasileiro possa pegar algumas coisas como exemplo para ter uma carreira de sucesso também.

Jogo no Allianz Parque
Com certeza, foi uma experiência inesquecível. Tive o privilégio de fazer uma grande festa no clube em que escolhi encerrar minha carreira, reunindo grandes ídolos que eu tinha desde criança, quando iniciei a minha trajetória, como Dudu e Ademir da Guia, além de outros grandes personagens da história do Palmeiras que foram meus contemporâneos, como César Sampaio, Alex, Edmundo, Junior Baiano, Velloso e tantos outros. Foi uma festa que, com certeza, marcou o fim da minha carreira. Tive o privilégio de receber o carinho de todos os torcedores palmeirenses e poder deixar um grande legado.

Presença do público
Saí lisonjeado. Eu não esperava que mais de 20 mil estivessem presentes, em um domingo, com o calor que fez, em uma época difícil para todos os brasileiros, porque é quando pagamos muito impostos e contas. Só que o público compareceu e, juntos, fizemos uma grande festa. Estava bastante quente, eu não esperava aguentar 90 minutos, mas me preparei e consegui. Essa festa era a cereja do bolo, que precisava para coroar uma carreira vitoriosa. Jogar no Palmeiras traz a lembrança dos títulos, do tempo, da preleção, e finalizo com uma grande festa, com a presença dos torcedores. Finalizo uma carreira falando que valeu a pena escolher o Palmeiras como clube para o encerramento da minha carreira. Com certeza, ficou um grande legado.

Preleção histórica em 2015
Na época, recebi muitos vídeos com pessoas olhando aquela preleção para o lado negativo, até porque o Palmeiras vinha de um momento difícil. Em 2014, quase foi rebaixado para a Série B. Em 2012, caiu, subiu em 2013... Vivia um momento difícil. Quando eu recebi o convite, para participar de uma reestruturação, não pensei duas vezes, em fazer parte de um grupo que pudesse resgatar, trazer de volta o Palmeiras ao protagonismo. Quando fizemos aquela palestra, tentando voltar a trazer a essência da grandeza do Palmeiras, eu não tinha sombra de dúvida de que iria dar certo. Por isso, com convicção, pedi para os meus companheiros naquele dia baterem no peito e falarem que o Palmeiras é grande, porque tinha convicção de que o Palmeiras ia voltar à sua grandeza. Hoje, é o clube com mais títulos (brasileiros) e, se não for o melhor, está entre os melhores em estrutura, não só o profissional, mas a base, e com um centro de excelência melhor ou parecido com muitos clubes da Europa. Hoje, fazendo parte nessa nova função, eu me sinto lisonjeado, e percebo que estou podendo agregar, não só em palavras, mas com tudo isso que está acontecendo no Palmeiras.

Palmeiras em 2019
Vejo uma preparação muito curta, pelo contrário, mas o Palmeiras iniciou muito focado. Os jogadores ficaram uma semana no centro de treinamento, treinando, praticamente, dois períodos. O Palmeiras entra muito bem preparado. Claro que a preparação é muito curta para uma temporada com mais de 70 jogos, mas é o que tem. Com o tempo, com os jogos iniciando no dia 20, vai dar a sequência de entrosamento e até de preparo físico. Mas está sendo uma pré-temporada muito intensa, e com os jogadores focados. As novas contratações chegam para agregar, e o Palmeiras entra forte para disputar todas as competições neste ano, com certeza.

Principal título da carreira
Tive vários títulos, na Alemanha, na Seleção Brasileira. Mas eu destacaria o título brasileiro de 2016, depois de 22 anos, e com 41 anos. Destacaria como o mais importante da minha carreira, e pelo Palmeiras.