Deyverson e Luiz Adriano

Deyverson e Luiz Adriano podem ser escalados juntos - Borja é outro candidato (Foto: Cesar Greco)

Thiago Ferri
19/08/2019
08:00
São Paulo (SP)

Inscrito na vaga de Moisés, Luiz Adriano nem jogou no sábado para preparar-se para estrear na Libertadores, nesta terça-feira, contra o Grêmio. Rival tricolor desde as categorias de base no Internacional, o centroavante pode fazer Luiz Felipe Scolari lançar um novo esquema, já sendo testado, com dois atacantes.

Campeão mundial pelo Colorado no fim de 2006, o atacante no primeiro semestre daquele ano foi campeão brasileiro sub-20, com direito a dois gols no Gre-Nal da decisão, vencido pelo Inter por 4 a 0. Sob o comando de Osmar Loss, ele jogou aquele clássico como parceiro de ataque de Alexandre Pato.

Desde seu acerto por quatro anos com o Verdão, Felipão tem citado a possibilidade que o camisa 10 lhe dá, de sair do 4-2-3-1 e usar o 4-4-2, com um centroavante e Luiz Adriano com liberdade para se movimentar. Mesmo antes da estreia do reforço, o técnico fez alguns testes neste novo posicionamento, e também no jogo-treino dos reservas contra o Nacional-SP, por exemplo.

A última atividade para o confronto de ida das quartas de final da Libertadores será nesta segunda-feira à tarde, sem a presença de jornalistas. Mas uma possibilidade é Felipão abrir mão de um jogador da linha de três meias, para escalar Luiz Adriano com Borja ou Deyverson. O colombiano, ainda que apagado no sábado, vem de dois bons jogos contra o Godoy Cruz (ARG).

Outra opção é usar Luiz Adriano com um jogador mais móvel, como Willian, e ter a possibilidade de durante a partida variar esquemas, já que o camisa 29, também poupado no sábado, pode formar uma linha atrás do centroavante com Dudu e Gustavo Scarpa.

Apesar da cautela que Felipão costuma adotar fora de casa, ainda mais abrindo um duelo de 180 minutos, marcar na Arena Grêmio pode ser um diferencial pensando na vaga na semifinal, pois o gol como visitante é critério de desempate, diferentemente da Copa do Brasil.

Luiz Adriano é uma esperança ofensiva, especialmente porque deixou boa impressão na sua estreia, contra o Bahia. Não marcou, mas movimentou-se bem e criou ao menos uma grande chance, defendida pelo goleiro Douglas. Ele foi o último reforço alviverde, antes do fechamento da janela internacional.