O presidente do Palmeiras foi chamado de patético, covarde e despreparado por diretor da Blackstar

O presidente do Palmeiras foi chamado de patético, covarde e despreparado por diretor da Blackstar (Divulgação)

Thiago Ferri e William Correia
17/12/2018
12:35
São Paulo (SP)

Na terça-feira, o Palmeiras se reuniu com Rubnei Quícoli, empresário que apresentou uma proposta de patrocínio que pode chegar a R$ 1,4 bilhão em dez anos. Mas o que se viu desde então foi uma sequência de desentendimentos que fez o diretor da Blackstar, candidata a patrocinadora, xingar Maurício Galiotte, presidente do Verdão, e ameaçar ir à Justiça.

Quícoli divulgou carta aberta na qual chama Galiotte de patético, covarde e nitidamente despreparado. Irritado com a provável renovação do clube com a Crefisa e a Faculdade das Américas (FAM), atuais patrocinadores que devem pagar R$ 80 milhões anuais em novo contrato de três temporadas, o representante da Blackstar já deu um ultimato ao Palmeiras, após receber um questionário que deveria ter respondido até sexta-feira.

O diretor da Blackstar International Limited, empresa com escritórios na Ásia e com atuação no mercado de energia e bioenergia, avisou que entrará com uma liminar caso seja confirmada a renovação com Crefisa e FAM porque, segundo Quícoli, essas empresas apresentam problemas jurídicos ignorados pelo Palmeiras na negociação.

Confira a íntegra da carta aberta de Rubnei Quícoli:

"Diretor Financeiro da BLACK STAR chama o presidente do Palmeiras de PATÉTICO

Foi apresentado juntamente com a CARTA de INTENÇÃO a GARANTIA BANCÁRIA proveniente do HSBC HK.

A origem DOS RECURSOS quem tem que se preocupar são os órgãos controladores, BCB, COAF e outros se acaso forem acionados por esses.

O PATÉTICO presidente do Palmeiras é covarde por usar de seu cargo no clube, do qual sou torcedor e amo, para soltar informações que estão manchando a integridade da empresa e mostra-se nitidamente despreparo. É totalmente duvidosa sua conduta em não querer reconhecer publicamente aos palmeirenses que sua opção ao atual patrocinador é parcial e de interesses.

Cabe lembrar aos palmeirenses que a FAM (Faculdade das Américas) foi adquirida de for ILÍCITA e o processo é público para todos saberem que podem ter problemas com esse patrocinador.

Não sou eu que estou denunciando e sim o MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO.

Cabe ao Conselho Deliberativo analisar o conteúdo do processo, pois, há poucos dias, os embargos apresentados foram indeferidos.

Vale ressaltar que o presidente reeleito em nenhum momento entrou em contato comigo e mais, o Palmeiras não notificou a BS sobre o interesse.

É importante esclarecer que estou defendendo a integridade da empresa que, pela boca deste patético presidente, levantou-se dúvidas dos recursos. Não entendi os motivos dele de querer desqualificar uma empresa que está disposta a investir no clube que ,neste momento, ele representa, e tem dia de validade sua gestão....e sabemos que é um limitado.

Cabe ao COF analisar, e jamais um patético dizer aos jornais 'que vou fechar com a Crefisa e ponto final'."