Jean Mota - Santos x Ferroviária

Autor do gol, Jean Mota foi o maior finalizador do jogo (Foto: Ricardo Moreira/Fotoarena/Lancepress!)

André Schmidt
20/01/2019
12:27

A implantação de um novo sistema de jogo requer tempo, trabalho e paciência. Ainda assim, mesmo com um projeto em seu estágio inicial, é possível notar mudanças desde o início. É assim, por exemplo, com o Santos de Jorge Sampaoli, que estreou no Paulistão 2019 neste sábado.

A atuação do Peixe contra a Ferroviária esteve bem distante do considerado ideal para se ter uma temporada competitiva, mas conseguiu apresentar algumas características que devem ser a tônica da equipe sob o comando do argentino. No triunfo por 1 a 0, o Santos tentou 395 passes e acertou 92,1% deles. Um bom aproveitamento para uma estreia. 

No gol anotado por Jean Mota, por exemplo, oito jogadores participaram da construção da jogada, inclusive o goleiro Vanderlei. Uma prática comum nas equipes de Sampaoli. O camisa 1, inclusive, terminou a partida com 21 passes certos, o 8º santista mais participativo no fundamento. Sua média no Brasileirão do ano passado havia sido de apenas 11 toques por jogo, quase a metade do seu desempenho neste fim de semana.

Outro ponto positivo foi a marcação alta e forte imposta pelo time logo em seu primeiro jogo-oficial. Apesar da falta de ritmo natural de início de temporada, o Santos conseguiu pressionar a saída de bola da Ferroviária, roubando 11 das 18 bolas do meio-campo para frente. Destaque para Alison, autor de seis desarmes.

Apesar do toque curto ser uma das marcas do trabalho do treinador, são através das inversões rápidas e o lançamentos longo, normalmente buscando os laterais ou os meias avançados e abertos, que os seus times encontram os espaços nas defesas adversárias. Contra a Ferroviária, foram sete inversões corretas - quatro do zagueiro Gustavo Henrique - e 13 bolas mais longas completadas, cinco delas saindo dos pés de Carlos Sánchez, o organizador da equipe.

Sem Bruno Henrique, negociado com o Flamengo às vésperas, Soteldo, recém-contratado, e Rodrygo, com a Seleção Brasileira Sub-20, no entanto, o Peixe teve dificuldades para infiltrar na área, abusando assim do jogo aéreo. Foram 40 bolas alçadas na área - apenas nove certas -, muito para um time que, por característica de seu treinador, tem nas aproximações e triangulações uma de suas principais armas. Algo que, pelo desempenho na estreia, deverá ser aprimorado por Sampaoli no decorrer da temporada.

NÚMEROS DO SANTOS NA ESTREIA
- Dados do Footstats

15 assistências para finalização
5 finalizações em gol
15 finalizações para fora
364 passes certos
31 passes errados
9 cruzamentos certos
31 cruzamentos errados
7 viradas de jogo certas
0 viradas de jogo erradas
13 lançamentos certos
14 lançamentos errados
18 desarmes certos