Tyson Gay e filha

Tyson Gay e sua filha Trinity, morta em tiroteio nos Estados Unidos (Foto: Reprodução/Facebook)

LANCE!
29/12/2018
16:37
Lexington (EUA)

Enfim, um desfecho. Pouco mais de dois anos após perder sua filha Trinity em um tiroteio. Tyson Gay viu quatro homens serem condenados pela Justiça por participação no episódio. A Justiça dos Estados Unidos contou com um júri popular no julgamento, que considerou os acusados culpados no dia 15 de outubro. As sentenças saíram no dia 20 de dezembro de 2018. 

Trinity estava dentro de um restaurante em Lexingnton, no estado de Kentucky (EUA), e acabou sendo baleada no pescoço após o início de um tiroteio no estacionamento do local. A adolescente, que fazia parte da equipe de atletismo de sua escola, faleceu aos 15 anos de idade.

Os quatro acusados foram considerados culpados. Chazerae Taylor recebeu a maior pena e foi condenado a 20 anos de prisão por assassinato, além de outros dois anos por ameaça arbitrária - os promotores afirmaram que ele foi o primeiro a disparar os tiros.

D'Markeo taylor, filho de Chaz, foi condenado a prestar serviços comunitários por 15 meses e cinco anos em condicional. D'Vonta Middlebrooks recebeu uma pena de 15 anos e Lamonte Williams terá que prestar serviços por um ano e cinco anos em liberdade condicional.

Tyson Gay, que percorreu os 100m em 9s69 em 2009 (marca atrás apenas do recorde mundial de 9s58 de Usain Bolt), garantiu estar "aliviado" com o encerramento do caso. Para o velocista - que levou os Estados Unidos a perderem a prata no revezamento 4x100m em Londres-2012 após ser pego no doping - reforçou o sentimento de que a justiça pela morte de sua filha foi feita.

- É a primeira vez que vivo algo assim, eu e a minha família. Foi bem estressante, mas estou aliviado que acabou. E estou aliviado que minha filha tenha alguma justiça. Espero que mais alguém que passe pela perda de um filho de maneira violenta e sem sentido, também possa ter justiça