David Moura e Flávio Canto no projeto

David Moura e Flavio Canto no projeto social (Marcello Zambrana/Divulgação)

LANCE!
31/03/2020
19:04
São Paulo

1.400 famílias em estado de vulnerabilidade no Rio de Janeiro, atendidas pelo Instituto Reação, terão uma ajuda imediata no combate à pandemia de COVID-19, graças à parceria com o banco BV. Todas essas famílias receberão imediatamente um auxílio de R$ 300 em vale alimentação. Essa foi uma das medidas anunciadas nesta terça-feira pela instituição financeira, que ainda está empenhada em estender o benefício para os mais de 30 projetos sociais beneficiados e que atendem milhares de pessoas em todo o Brasil.

O banco BV doou R$ 30 milhões e iniciou uma campanha para arrecadação de recursos que serão prioritariamente destinados para compra de insumos hospitalares e distribuição de itens de primeira necessidade aos projetos sociais com os quais já mantém relacionamento. Além disso, o banco BV criou uma linha de crédito de R$ 50 milhões para fornecedores nacionais de equipamentos e serviços hospitalares essenciais no combate à COVID-19. Os recursos doados já estão sendo entregues, incluindo, também, aquisição de 50 respiradores em parceria com o Governo de São Paulo.

Além da doação, o banco BV convida clientes, parceiros e sociedade, pessoas físicas e jurídicas, para se engajar em uma campanha de arrecadação online. As doações serão feitas pela plataforma digital "Abrace uma Causa”, reconhecida pela capacidade de conectar pessoas e empresas com causas sociais de várias regiões do Brasil. Para cada R$ 1 doado por pessoa física, o banco doará a mesma quantia, até o total de R$ 10 milhões.

- Sabemos que as pessoas querem ajudar e, muitas vezes, não sabem como. O BV acredita que, com a experiência e capilaridade do Instituto Votorantim e da Fundação Banco do Brasil, pode atuar como viabilizador dessa grande rede de colaboração. Todos que queiram contribuir, pessoas físicas e empresas, poderão fazê-lo de forma rápida e segura, com a certeza de que os benefícios serão distribuídos com critério e a devida transparência - afirma Gabriel Ferreira, CEO do banco BV.