(Foto: Divulgação)

Junto com seu irmão, o faixa-preta Hacran Dias é professor de Jiu-Jitsu na Escola de Lutas José Aldo (Foto: Divulgação)

TATAME
28/11/2018
13:15
Rio de Janeiro (RJ)

Por Mateus Machado

Desenvolvido no mês de agosto por Dedé Pederneiras, líder da equipe Nova União, e José Aldo, um dos grandes nomes brasileiros da história do MMA, o Projeto Escola de Lutas José Aldo vem sendo um grande diferencial na vida de muitos jovens na cidade do Rio de Janeiro. Com pólos no Complexo da Maré e no Morro Azul, situado no bairro do Flamengo, oferecendo aulas gratuitas de seis modalidades para crianças e adolescentes entre 6 e 16 anos, o programa já conta com diversos adeptos e os resultados aparecem.

Um dos responsáveis pelo sucesso do projeto é o faixa-preta de Jiu-Jitsu e lutador de MMA, Hacran Dias. Com uma carreira vitoriosa, com passagem pelo UFC, o atleta, junto com seu irmão, “Polengue” Dias, dá aulas da arte suave para os jovens e é considerado um grande exemplo por seus alunos, já que surgiu no mundo da luta justamente através de um projeto social similar ao que é visto na Escola de Lutas José Aldo e conseguiu vencer.

- Eu surgi de um projeto desses, como o do Aldo. Cheguei ao maior evento de MMA do mundo através de um projeto social. Se não fosse por isso, de repente eu nem chegaria onde cheguei. Então é muito importante, pois as crianças têm a oportunidade de sonharem mais alto, de chegar onde muitos dos lutadores que eles admiram chegaram. São de projetos como esse do José Aldo onde saem os verdadeiros campeões - afirmou o carioca Hacran.

Confira a entrevista completa com Hacran Dias:

– Trabalho com Aldo na Escola de Lutas


Sou professor de Jiu-Jitsu da Escola de Lutas José Aldo junto com o meu irmão. O Aldo sempre teve esse propósito de montar a escola de lutas dele, dar oportunidade para as crianças poderem treinar um Jiu-Jitsu, praticar uma arte marcial… Ele conquistou tudo, mas queria passar para as crianças os ensinamentos que ele teve, dar chance para elas.

– Importância de projetos para os jovens

A importância de um projeto social na vida dessas crianças é enorme. Eu falo por mim, já que saí de um projeto desses. Eu não fui campeão, mas cheguei ao maior evento de MMA do mundo através de um projeto. Se não fosse por isso, de repente eu nem chegaria onde cheguei. Então é muito importante, pois as crianças têm a oportunidade de sonharem mais alto, de chegar onde muitos dos lutadores que eles admiram chegaram. São de projetos como esse do José Aldo onde saem os verdadeiros campeões do esporte, sem dúvidas.

– Projeção para o crescimento da Escola

Eu vejo o crescimento do projeto de forma muito positiva para os próximos anos. Já projetamos ver muitas crianças e adolescentes nos próximos anos se destacando no mundo da luta através da Escola de Lutas José Aldo, com as oportunidades que eles estão tendo.

– Pedido por mais projetos sociais no Brasil

Esses projetos sociais são muito importantes, porque dão chance para cada criança fazer um esporte e, como eu já disse, eu saí de um projeto, assim como outros diversos lutadores de renome. Quanto mais projetos como esse do Aldo surgirem, acredito que será muito grandioso, porque são oportunidades que surgem para jovens que não tem condições de pagar uma academia, de comprar um quimono. E a partir disso eles fazem o que gostam, aprender uma arte marcial de forma digna. Vemos jovens muito bons espalhados por aí, mas ao mesmo tempo eles estão escondidos, pois não tem uma oportunidade. A gente sabe que pagar uma academia, comprar um quimono, ou qualquer equipamento do tipo é caro, muito caro para eles. Por isso um projeto como esse do Aldo é essencial para o futuro. Se fosse espalhado pelo Brasil, eu tenho certeza que iam surgir diversos campeões. Se não fossem esses projetos sociais, eu não sairia do morro e não chegaria ao maior evento de MMA do mundo, o Dudu Dantas não chegaria ao Bellator, meu irmão não conquistaria diversos títulos no Jiu-Jitsu. Temos talento de sobra por aí.

– Planos para o futuro dentro do MMA

O plano agora é esperar para ver se surge alguma coisa. O Dedé Pederneiras, que é meu empresário, está aguardando. Eu estava para lutar um evento na China, mas foi adiado três vezes e nisso eu treinei por quatro meses. Depois disso, eu lutaria o Shooto Brasil, fazendo a luta principal contra um equatoriano, mas acabei passando mal depois da pesagem. Então, agora é aguardar, entregar nas mãos de Deus e ver o que vai acontecer.

Quer ficar por dentro do mundo da luta? Clique e acesse o site da TATAME!