Amanda Ribas conquistou a terceira vitória seguida dentro do UFC e segue embalada (Foto: Reprodução/Twitter)

Amanda Ribas conquistou a terceira vitória seguida dentro do UFC e segue embalada (Foto: Reprodução/Twitter)

TATAME
14/03/2020
19:39
Brasília (DF)

Sem a emoção e o calor do público, que teve a entrada proibida pelo governo do Distrito Federal como uma medida de prevenção para o novo coronavírus (Covid-19), o UFC Brasília contou com lutas equilibradas no card preliminar no fim da tarde deste sábado (14). Nenhum confronto terminou com nocaute ou finalização e todos foram parar nas mãos dos jurados. O Brasil teve as vitórias de Amanda Ribas e Elizeu Capoeira. Rani Yahya e Enrique Barzola empataram. Já Jussier Formiga, Mayra Sheetara e Bruno Bulldoguinho foram derrotados.

Formiga é superado por Moreno

Dono de um Jiu-Jitsu afiado, Jussier Formiga quase finalizou Brandon Moreno nos minutos iniciais com uma guilhotina. O mexicano não ficou para trás e pressionou o brasileiro, que soube se defender. O segundo round teve um equilíbrio maior, com ambos os atletas alternando no domínio da luta. “The Assassin Baby” evitou bem as quedas do potiguar e aplicava golpes na luta em pé. Já no fim, o potiguar raspou, foi para montada e esboçou uma finalização. No fim, por decisão unânime, Moreno venceu por decisão unânime e chegou a terceira vitória em quatro lutas. Já Formiga perdeu o segundo combate seguido.

Amanda vence e segue embalada

Após um período de estudo nos minutos iniciais, Randa Markos bloqueou um chute de Amanda Ribas, que caiu por cima no chão. A brasileira, mais versátil, passou a trabalhar o ground and pound com efetividade. No round seguinte, o confronto seguiu disputando mais em pé. Já no último round, a mineira levou a luta para chão e esteve muito perto de finalizar em duas oportunidades. Primeiro na chave americana e, na sequência, no katagatame. Amanda segue embalada e venceu por decisão unânime, garantindo o terceiro triunfo no peso-palha do UFC.

Capoeira domina e volta a vencer

Em mais um confronto equilibrado no UFC Brasília, Elizeu Capoeira, acostumado a ter uma postura mais ofensiva, adotou uma estratégia mais cautelosa, mas seguiu trabalhando os chute, que fazem parte da sua especialidade. Já Alexei Kunchenko buscou contra-golpear e, quando via alguma brecha, tentava o clinch – que era bem defendido pelo paranaense. No fim, por decisão unânime, Capoeira ficou com a vitória e voltar a vencer no UFC após derrota no UFC Shenzhen. Já o russo conhece o segundo revés seguido na franquia.

Yahya e Barzola ficam no empate

Nascido em Brasília, Rani Yahya teve um primeiro round mais forte, impondo seu grappling e buscando a finalização. O combate para o segundo assalto seguiu da mesma forma, mas Enrique Barzola terminou o round trabalhando o ground and pound. Já para o último e derradeiro assalto, o peruano colocou o ritmo mais forte, trabalhou golpes de impacto no chão e esteve perto de finalizar. Após 15 minutos de equilíbrio, os jurados deram empate majoritário.

Sheetara é superada por ucraniana

O round inicial foi marcado por uma disputada morna. Maryna Moroz teve o melhor momento quando trabalhou o ground and pound contra Mayra Sheetara, que mostrou recurso para não ser castigada. A brasileira voltou mais agressiva para o assalto seguinte e aplicou bons low kicks, mas a ucraniana voltou a derrubar e terminou o round por cima.

Visivelmente desgastada, Sheetara não se entregou e foi com muita garra para o ataque. A brasileira manteve uma distância, aplicou os golpes mais contundentes como chutes e joelhadas do Muay Thai. A ucraniana foi administrando mais o combate. Por decisão unânime, Maryna conquistou a segunda vitória seguida no peso-mosca da franquia. Já a paulista conhece o primeiro revés dentro do UFC. Sheetara passou por duas cirurgias no joelho e não lutava desde setembro de 2018.

Bulldoguinho é superado por tcheco

O primeiro round vinha sendo marcado pelo equilíbrio entre os atletas, mas Bruno Bulldoguinho acertou um chute na linha de cintura de David Dvorak, que acusou o golpe. Na sequência, o brasileiro fez uma pressão no chão tentando usar o Jiu-Jitsu, mas não teve tempo suficiente para finalizar. O segundo assalto seguiu agitado. Após evitar as tentativas de queda do lutador do Brasil, o tcheco levou a luta para o chão, no entanto, não progrediu tanto o seu jogo.

O último round teve o panorama semelhante com os anteriores. Dvorak mostrou qualidade para defender o grappling de Bulldoguinho e aplicou os melhores golpes na luta em pé. Após três rounds, o peso-mosca europeu teve o triunfo apontado pelos árbitros por decisão unânime em sua estreia no Ultimate, enquanto o carioca conhece o segundo revés seguido e não sabe o que é vencer no UFC.

Sueca cresce na luta e garante vitória

Na abertura do card preliminar do UFC Brasília, Veronica Macedo impôs o seu ritmo. A venezuelana controlou o combate, mas não manteve o ritmo no segundo assalto. Foi, então, que Bea Malecki cresceu. Cansada, Macedo teve uma queda de rendimento e a europeia passou a ditar o duelo. No fim, por decisão unânime, Malek venceu por decisão unânime e registra a segunda vitória seguida no UFC. Já Veronica conhece o quarto revés em cinco lutas na organização.

CARD COMPLETO:

UFC Fight Night 170
Ginásio Nilson Nelson, em Brasília (DF)
Sábado, 14 de março de 2020

Card principal

Peso-leve: Kevin Lee x Charles do Bronx
Peso-meio-médio: Demian Maia x Gilbert Durinho
Peso-leve: Renato Moicano x Damir Hadzovic
Peso-meio-pesado: Johnny Walker x Nikita Krylov
Peso-leve: Francisco Massaranduba x John Makdessi

Card preliminar
Brandon Moreno derrotou Jussier Formiga por decisão unânime dos jurados
Amanda Ribas derrotou Randa Markos por decisão unânime dos jurados
Elizeu Capoeira derrotou Alexei Kunchenko por decisão unânime dos jurados
Rani Yahya e Enrique Barzola empataram
Maryna Moroz derrotou Mayra Sheetara por decisão unânime dos jurados
David Dvorak derrotou Bruno Bulldoguinho por decisão unânime dos jurados
Bea Malecki derrotou Veronica Macedo por decisão unânime dos jurados