Dana White está impactado com as performances de Chimaev (Foto: Reprodução Instagram @khamzat_chimaev)

Dana White está impactado com as performances de Chimaev (Foto: Reprodução Instagram @khamzat_chimaev)

TATAME
25/12/2020
13:09
Rio de Janeiro (RJ)

Assim como em todos os eventos esportivos, a temporada de 2020 foi de adaptação para o UFC por conta da pandemia do novo coronavírus. A companhia foi o primeiro grande evento global a retornar com um protocolo sanitário rígido e a criação das famosas bolhas. Apesar de todas as dificuldades, algumas surpresas apareceram e despontam como futuras estrelas. Confira o Top 4 de surpresas do UFC em 2020!

Khamzat Chimaev – nascido na Chechênia, “Borz” se naturalizou sueco e é a grande revelação do UFC em 2020. Em um intervalo de dez dias, o lutador fez duas lutas no Ultimate, conquistando uma finalização e um nocaute. Menos de dois meses depois, Chimaev já estava em ação novamente para nocautear Gerald Meerschaert em apenas 17 segundos. Em 15º no ranking dos meio-médios, a promessa de 26 anos vai estrear na luta principal de um card do Ultimate contra o inglês Leon Edwards no dia 20 de janeiro.

Kevin Holland – o americano estreou no UFC em 2019, mas fez uma temporada de 2020 impecável. O peso-médio de 28 anos se recuperou de um revés Brendan Allen e engatou uma série de cinco vitórias em menos de sete meses. Algo impressionante, se tratando de MMA. A última vítima de “Trailblazer” foi o brasileiro Ronaldo Jacaré, no último dia 12, pelo UFC 256. Holland já ocupa a 10ª colocação da divisão até 84kg.

Khaos Williams – o meio-médio estreou no Ultimate em 2020 e em suas duas primeiras lutas, a soma total de tempo no octógono foi inferior a 60 segundos. “The OxFighter” nocauteou dois oponentes com autoridade, mas em seu último compromisso foi derrotado pelo brasileiro Michel Pereira.

Taila Santos – após estrear com derrota no UFC em 2019, a oriunda do Contender Series adotou uma nova versão em 2020 e emplacou duas boas vitórias sobre Molly McCann e Gillian Robertson, respectivamente. Agora, a brasileira alça voos maiores e passou a ocupar o 13º lugar nos moscas.