Popó acusa Aldo de ‘exigir’ US$ 1 milhão para enfrentá-lo no boxe e provoca: ‘Nunca recebeu isso’

Acelino Popó Freitas, lenda do Boxe, e Mamá Brito, CEO do Fight Music Show, foram os convidados do Resenha TATAME #29; veja a entrevista

(Foto: Divulgação)
Acelino Popó Freitas e José Aldo vêm trocando provocações ao longo dos últimos tempos (Foto: Divulgação)

Escrito por

O programa Resenha TATAME #29 recebeu na quinta-feira Acelino Popó Freitas, tetracampeão mundial de Boxe, e Mamá Brito, CEO do Fight Music Show. Em conversa de quase uma hora, ambos falaram da expectativa para a segunda edição do evento, que vai acontecer no dia 25 de setembro, na Arena da Baixada, em Curitiba, com diversas atrações envolvendo lutas e entretenimento.

>>> Tem brasileiro na lista! Confira os times com mais interações no Twitter em julho


Popó, por sinal, vai encabeçar o card do Fight Music Show em duelo de Boxe contra Pelé Landy. No entanto, nos últimos dias, a rivalidade do tetracampeão mundial da nobre arte com José Aldo voltou à tona. Vale lembrar que, no início do ano, logo após enfrentar Whindersson Nunes na primeira edição do “FMS”, Acelino lançou desafio para enfrentar Aldo, que não recebeu bem a “chamada” e lançou provocações ao baiano, chamando ele de “velho e barrigudo”.

A partir disso, os dois atletas passaram a trocar provocações, porém, um confronto entre eles não chegou a ser confirmado. Ao ser questionado se, em algum momento, tentou casar um duelo entre Popó e Aldo, Mamá Brito confirmou que a luta esteve em seus planos, mas que na época, não foi possível, por conta do contrato de José Aldo com o UFC.

- Na verdade teve (conversa com José Aldo visando uma luta contra Popó), com o (Dedé) Pederneiras uma época, mas aí, devido ao contrato dele (com o UFC), ele não poderia (lutar). A partir disso, eu não conversei mais - disse Mamá Brito.

Logo na sequência, Acelino Popó Freitas deixou sua opinião a respeito do combate diante de José Aldo não ter acontecido, e em uma clara “alfinetada”, afirmou que o manauara não tem “moral” dentro do UFC, comparando com Conor McGregor, que em meio ao contrato com o Ultimate, conseguiu fazer uma luta de Boxe diante de Floyd Mayweather.

- Se ele (José Aldo) tivesse moral com o UFC, o UFC liberava ele para lutar Boxe. Por que o UFC liberou o McGregor para lutar contra o Floyd Mayweather? Porque o cara tem moral. Aí José Aldo fala: ‘eu luto, sim, se me der US$ 1 milhão.’ O cara que nunca ganhou US$ 200 mil no UFC, como pede 1 milhão de dólares para lutar no Fight Music Show? Ele nunca recebeu isso.

Ele não lutou por falta de vontade, porque ele tem vontade de lutar Boxe, ele já falou que tem vontade de migrar para o Boxe. Mas é isso, torço por ele. Se ele puder dar uma volta por cima, está novo para isso ainda, mas agora tem que se animar de novo - afirmou.

News do Lance!

Receba boletins diários no seu e-mail para ficar por dentro do que rola no mundo dos esportes e no seu time do coração!

backgroundNewsletter