Fedor (Foto: Bellator MMA)

Fedor Emelianenko deu ‘sinal verde’ para possível revanche contra Fabrício Werdum (Foto: Bellator MMA)

TATAME
21/08/2020
13:40
Rio de Janeiro (RJ)

No final de julho, ao derrotar Alexander Gustafsson ainda no primeiro round e fazer a última luta de seu contrato com o UFC, Fabrício Werdum deixou bem explícita a sua vantagem em fazer um novo duelo diante de Fedor Emelianenko, no que seria uma revanche do combate que aconteceu no ano de 2010, onde o brasileiro saiu vencedor ao finalizar o russo ainda no primeiro round, em duelo válido pelo extinto Strikeforce.

Ciente do desejo do “Vai Cavalo” em reeditar esse confronto, Fedor se posicionou pela primeira vez a respeito do assunto. Na última quinta-feira (20), a lenda russa se mostrou favorável a enfrentar novamente o brasileiro, no entanto, deixou bem claro que a revanche teria que acontecer com o aval do Bellator, organização que Emelianenko integra atualmente.

- Sim, essa luta (contra Fabrício Werdum) me interessaria. Agora, se é uma luta interessante de se ver ou se o Bellator se interessa por ela, não sei - disse o russo, de acordo com transcrição do site MMA Junkie.

Atualmente com 43 anos e um cartel de 39 vitórias e seis derrotas no MMA profissional, Fedor Emelianenko está na reta final de sua carreira e, por conta disso, o Bellator estaria planejando uma “tour de despedida” do “Último Imperador”, com passagens do russo por Estados Unidos, Japão e Rússia. Todavia, a pandemia provocada pelo coronavírus frustrou completamente os planos da organização de Scott Coker em promover tal ação. Apesar disso, Fedor afirmou não encontrar problemas em lutar no atual cenário vivido, com eventos sendo realizados sem presença de público.

- Não sinto, necessariamente, uma sensação de urgência (para lutar), mas também não quero esperar muito. Se não há pessoas presentes, a audiência da TV é muito maior. Não diminui a importância da luta. Os olhos ainda estarão nos observando. Tenho uma reunião com Scott (Coker, presidente do Bellator) para discutir o que o futuro reserva no que diz respeito à luta. Obviamente, (a pandemia do coronavírus) é lamentável. Amanhã (esta sexta-feira, dia 21) haverá uma luta sem fãs, mas é nesta época que vivemos - concluiu Fedor, que não luta desde dezembro do ano passado, quando nocauteou Quinton “Rampage” Jackson ainda no primeiro round.