Eduardo Sasha

Eduardo Sasha abriu o marcador para o Santos em vitória (Foto: Ivan Storti/Santos)

*Fernanda Teixeira
09/06/2019
21:04
Santos (SP)

Três dias depois do duelo pela Copa do Brasil, Santos e Atlético-MG voltaram a se enfrentar, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro. E neste domingo, quem levou a melhor na partida válida pela oitava rodada do torneio nacional foi o Peixe, que venceu por 3 a 1. Eduardo Sasha, Jean Mota e Carlos Sánchez marcaram os gols santistas e Alerrandro, o do Galo. O Santos está dois pontos atrás do Palmeiras, atual líder do Brasileirão. No entanto, o Palmeiras pode abrir cinco pontos caso resultado de vitória contra o Botafogo seja validado.

Já o Galo caiu para terceiro, com 15 pontos. Antes da parada para a Copa América, o Santos faz o clássico com o Corinthians, na Vila, na quarta-feira, às 21h30. O Galo recebe o São Paulo, no Independência, quinta-feira, às 20h.

Só deu Peixe
Fazendo valer o fator casa, o Santos começou melhor a partida e pressionou o Atlético na Vila. Até os 20 minutos, o Galo não conseguiu nenhuma finalização. Já o Peixe, avançou o time e impediu os avanços rivais. Logo no primeiro lance de ataque, Jean Lucas quase abre o placar, depois de um cruzamento de Jorge, mas Victor fez grande defesa; Minutos depois, foi a vez de Marinho explodir a trave com uma bomba de fora da área. Patric tinha dificuldades para marcar o habilidoso e veloz Soteldo e o venezuelano levou a melhor na maioria das disputas pelo lado esquerdo.

Bola parada resolve
A pressão santista deu resultado já no final da primeira etapa, em lances de bola parada. Aos 38, Jean Mota cobrou falta na área do Galo e Sasha deu uma casquinha de costas, mandando a bola no canto de Victor, para abrir o placar. O segundo gol saiu de um pênalti apontado pelos árbitros de vídeo. Fábio Santos desviou com a mão um escanteio cobrado por Sasha e o VAR apontou a irregularidade. Mota foi para a cobrança e marcou o gol que encerrou um jejum que durava desde o dia 17 de abril. Foi o décimo gol do artilheiro do time na temporada.

Galo melhora
Na volta do intervalo, o time de Rodrigo Santana voltou mais organizado e conseguiu criar mais do que em todo o primeiro tempo. Evérson evitou o gol de Ricardo Oliveira com grande defesa. O atacante cabeceou firme no meio da área, mas não conseguiu afastar a má fase e o recorde negativo de nove jogos sem marcar. Do outro lado, o Santos diminuiu o ritmo, mas manteve o controle das ações.

Alerrandro pede passagem
Oliveira deu lugar a Alerrandro, na metade da segunda etapa. O garoto de 19 anos, formado na base atleticana precisou de apenas alguns três minutos em campo para descontar para o Galo. Patric acertou um ótimo passe nas costas de Lucas Veríssimo e o jovem atacante bateu cruzado sem chances para Evérson.

Sánchez define
Quando o Peixe sofria com a pressão do rival pelo empate, José Welison fez falta na entrada da área. Carlos Sánchez cobrou a falta com perfeição no ângulo esquerdo de Victor para decretar o placar final e garantir a vitória santista.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 3 x 1 ATLÉTICO-MG


Data/Hora: 09/06/2019, às 19h (de Brasília)
Local: Vila Belmiro, Santos (SP)
Gramado: Bom
Público/Renda: 5.794/ R$ 199.730,00
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa/PA) Nota L! - 6,5: Acertou nas marcações com auxílio do VAR
Assistentes: Eduardo Goncalves da Cruz (Fifa) (MS) e Helcio Araujo Neves (PA)
Árbitro de vídeo: Rafael Traci (SC)
Assistentes do árbitro de vídeo: William Machado Steffen (SC) e Oberto da Silva Santos (PB)
Cartões amarelos: Lucas Veríssimo (SAN); Fábio Santos, José Welison (ATL)
Cartão vermelho: Não houve.

Gols: Eduardo Sasha (38’/1ºT, 1-0), Jean Mota (49’/1ºT, 2-0), Alerrandro (25’/2ºT, 2-1), Carlos Sánchez (36’/2ºT, 3-1)

SANTOS: Éverson; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Aguilar e Jorge; Diego Pituca, Jean Lucas, Jean Mota (Felipe Jonatan, 37’/2ºT) e Soteldo; Eduardo Sasha (Uribe, 39’/2ºT) e Marinho (Carlos Sánchez, 20’/2ºT). Técnico: Jorge Sampaoli.

ATLÉTICO-MG: Victor; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; José Welison (Nathan 39’/2ºT), Elias, Cazares, Luan e Chará (Geuvânio, 12’/2ºT); Ricardo Oliveira (Alerrandro, 25’/2ºT). Técnico: Rodrigo Santana.

* Sob supervisão de Vinícius Perazzini