Vinícius Faustini
30/03/2019
20:07
São Paulo (SP)

Sobraram emoções e faltou gol no Choque-Rei que abriu as semifinais do Paulistão. São Paulo e Palmeiras não saíram do 0 a 0 neste sábado, no Morumbi, em duelo marcado por várias chances, pontapés, reclamações e por atuação decisiva do VAR ao fazer o árbitro recuar na marcação de um pênalti para o Verdão no primeiro tempo.

Com o resultado do duelo (que foi antecedido pela apresentação de Pato à torcida são-paulina), a disputa segue aberta pela vaga à final. No próximo dia 7, domingo, o Palmeiras receberá o São Paulo, que já será comandado por Cuca, no Allianz Parque, às 16h, no jogo de volta. Quem vencer a partida, estará na final. Em caso de novo empate, a definição acontecerá nos pênaltis. 

Pegando fogo!
Muitas chances, rispidez, polêmicas... Não faltou intensidade ao Choque-Rei na etapa inicial. Impetuoso, o São Paulo logo desperdiçou chance com Pablo. Em seguida, o camisa 12 recebeu de Igor Gomes e, ao arriscar, foi travado por Antônio Carlos. Na sobra, Everton Felipe bateu colocado rente à trave. Buscando mais posse de bola, o Palmeiras, aos poucos, trouxe calafrios em chance de Ricardo Goulart e em investidas de Scarpa e Dudu.

Trave abafa gritos de gol
A trave foi um adversário forte para as duas equipes. Mais incisivo em sua reta final, o Verdão viu quando Dudu ajeitou da direita e encheu o pé, mas carimbou a trave de Tiago Volpi. Em seguida, o camisa 7 fez o goleiro são-paulino se desdobrar para evitar tentativa e Deyverson desperdiçou uma oportunidade para o time de Luiz Felipe Scolari. Já o Tricolor paulista, que foi levemente superior, assustou Weverton quando Liziero cruzou a Pablo cabeceou no travessão.

Pênalti... Não, espera!
A polêmica entrou em campo no Morumbi aos 37 minutos. Após Bruno Henrique dar passe de calcanhar, Dudu cair na área em disputa com Reinaldo. Sem titubear, Vinícius Furlan marcou pênalti. No entanto, o árbitro Raphael Claus pediu que o juiz revisse o lance no VAR. Passados quatro minutos de espera, o pênalti foi anulado.

Cadê o ritmo...
A volta do clássico para a etapa final foi promissora. Lançado no lugar de Anderson Martins, Arboleda surgiu em meio à cobrança de escanteio e balançou a rede, mas o gol foi bem anulado por falta em Marcos Rocha. Só que o ritmo do jogo mudou (enquanto as reclamações persistiram e aumentaram as faltas). Além de o São Paulo esbarrar em trocas de passes e ver seu trio de frente perder fôlego, o Palmeiras era cauteloso no ataque.

Batalha, mas nada de gol
Com as alterações, o Tricolor paulista depositou suas fichas em cruzamentos de Nenê, mas a bola não chegava à feição para Pablo e Antony. Na melhor chance são-paulina, o meia avançou na área, mas Edu Dracena evitou que ele chegasse à meta de Weverton. Já o Palmeiras, pecando em contra-ataques, assustou com Bruno Henrique, mas mostrou-se satisfeito com o empate sem gols. No apito final, torcedores no Morumbi reverenciaram a garra são-paulina, no último jogo de Vagner Mancini como técnico interino. A decisão fica para o Allianz Parque.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 0 x 0 PALMEIRAS

Data-Hora: 30-03-19 - 18h
Estádio: Morumbi, em São Paulo (SP)
Árbitro: Vinicius Furlan (SP) - Nota L!: 4,5 - Com o auxílio do VAR, corrigiu seu erro ao marcar inicialmente o pênalti sobre Dudu. No entanto, deixou a violência correr solta no clássico. Na etapa final, acertou ao anular gol de Arboleda.
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Danilo Ricardo Simon Manis (SP)
Público / Renda: 43.202 / Renda Bruta: R$ 1.809.853,00
Cartões amarelos: Liziero, Arboleda, Luan (SAO), Felipe Melo, Victor Luis, Marcos Rocha, Gustavo Scarpa (PAL)

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Hudson, Bruno Alves, Anderson Martins (Arboleda, intervalo) e Reinaldo; Luan, Liziero e Igor Gomes (Nenê, 32, 2º T); Antony, Pablo e Everton Felipe (Everton, 24, 2º T). Técnico: Vagner Mancini

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha (Mayke, 23, 2º T), Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luis (Diogo Barbosa, 14, 2º T); Felipe Melo, Bruno Henrique, Ricardo Goulart (Lucas Lima, 32, 2º T), Gustavo Scarpa e Dudu; Deyverson. Técnico: Luiz Felipe Scolari