Montagem - Athletico-PR e Grêmio

Furacão teve superávit de R$ 63,5 milhões, maior do que o Flamengo. Grêmio ficou em quarto, com R$ 22,2 milhões (Foto: Divulgação)

LANCE!
18/05/2020
08:30
Rio de Janeiro (RJ)

Convidado do LANCE! na Jogada, o especialista em marketing e gestão esportiva Amir Somoggi chamou atenção para dois clubes do Sul que tiveram um salto financeiro. Ele detalhou os progressos de Athletico-PR e Grêmio no ano de 2019.

- O Athletico-PR, por ser campeão da Copa do Brasil, alavancou muito suas receitas. Para um clube que não tem tanta projeção, ele chega a dobrar de tamanho - e, em seguida, detalhou:

- Além disto, foi um ano no qual as premiações por participação nas competições aumentaram. O Furacão também teve um incremento na transferência de jogadores. O Athletico, mesmo tendo uma faixa menor de torcedores no país, hoje tem condições de crescer mais - completou.


As receitas do Furacão saltaram de R$ 194,6 milhões em 2018 para R$ 390,2 no ano passado. O clube encerrou a temporada com superávit de R$ 63,5 milhões, ficando à frente do Flamengo (que teve saldo de R$ 62 mi no ano passado).

'O Athletico-PR teve um incremento na receita. O Grêmio é uma referência para clubes de fora do eixo Rio-São Paulo', diz Amir Somoggi

Na entrevista ao LANCE! (confira a íntegra no vídeo abaixo), outra gestão valorizada pelo especialista foi a do Grêmio. Aos seus olhos, o clube gaúcho encontrou alternativas para manter sua austeridade.

- O Grêmio não é um ótimo exemplo só pelos números positivos. O crescimento da sua receita não foi tão elevado, devido à queda em transferências. Porém, a administração cresceu em recorrentes ações de sócios. A única ressalva é em relação ao modelo que o clube planejou para bilheteria, que não é o ideal - disse.

Os gremistas terminaram a temporada de 2019 com receita de R$ 440,1 milhões em futebol. Seu superávit foi de R$ 22,2 milhões. O especialista em gestão e marketing do esporte exaltou a conduta do clube para se equilibrar.

- Mesmo com uma receita não tão alta, o Grêmio está mantendo um equilíbrio orçamentário, acumulando mais de R$ 100 milhões em um quatro anos. E o fato da maior parte das divisas ser usada para o Profut dará ao clube mais chance de investir futuramente em jogadores de maior qualidade - declarou.

Aos seus olhos, o Grêmio se tornou uma referência em termos de administração.

-  É o melhor modelo de fora do eixo Rio-São Paulo. Ideal para clubes que têm dificuldade de projeção nacional e são mais regionais. Pesa a favor do Grêmio o fato de, no Rio Grande do Sul, não ter jovens que torcem para clubes europeus. A paixão é muito da família, trabalho de base. O Grêmio vem conseguindo bons resultados e não está dependendo mais das transferências, ao contrário do Internacional - afirmou.