Lazlo Dalfovo
28/03/2018
23:50
Rio de Janeiro (RJ)

A desvantagem e o retrospectivo negativo em clássicos no ano não foram pedras no sapato do Botafogo. Ao contrário. Aguerrido e calculista, a equipe de Alberto Valentim venceu o Flamengo por 1 a 0, nesta quarta-feira, no Maracanã, e se credenciou à final do Campeonato Carioca de peito estufado. Luiz Fernando foi quem marcou o gol salvador e, com uma pitada de veneno, provocou com o "cheirinho". O cheirinho de revanche.

Agora, o Botafogo enfrenta o vencedor de Fluminense x Vasco, duelo a ser
realizado nesta quinta-feira, com a vantagem do empate, que era do Fla-
mengo, no Maracanã.


MUDANÇA DOS DOIS LADOS

O tão importante duelo tático iniciou antes mesmo de a bola rolar, uma vez que os dois técnicos mexeram em seus respectivos times titulares. E melhor para o Botafogo, que esperou mais previsível o time de Carpegiani, pouco eficiente quanto tinha a posse (e teve mais) - as melhores chances rubro-negras vieram por cima.

CHEIRO DE PROVOCAÇÃO E REVANCHE
Mantido como titular, o arisco Luiz Fernando vinha se destacando em campo. Em cima de Everton, escalado como lateral-esquerdo, o camisa 11 criou boas jogadas e, na casa dos 40 minutos do primeiro tempo, viu Marcinho encontrá-lo dentro da área: caixa! Na comemoração, a provocação: direcionado à torcida do
Fla, pôs a mão no nariz em alusão ao "cheirinho". Agora aguenta...

SUFOCO PÓS-VESTIÁRIO
Se já havia iniciado com Arão, Vinicius Júnior e Pará, Carpegiani voltou do intervalo disposto a agitar o Fla. Geuvânio, Cuéllar e Marlos Moreno (este um pouco depois) foram acionados na medida em que o Glorioso pouco oferecia perigo nos contragolpes. Com muita velocidade e impulsionado pela torcida, muito superior em quantidade, o Rubro-Negro optou por congestionar a área
adversária e acreditar no talento individual. Mas todos deveram.

VANTAGEM? ONDE?
O cenário não mudou no fim. Apagado, Diego até tentou de bola parada, assim como Marlos, de cabeça, mas a dupla parou em Jefferson. O fato é que o Botafogo não sofreu sustos claros e, na base da consistência defensiva, mandou a desvantagem para o Ninho.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 1 X 0 FLAMENGO


Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 28/3/2018, às 21h45
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Wagner de Almeida Santos (RJ) e Daniel do Espírito Santo Parro (RJ)
Público/Renda: 28.215 pagantes / R$ 808.555,00
Cartões amarelos: Jonas e Cuéllar (Fla); Jefferson e Igor Rabello (BOT)
Gol: Luiz Fernando (38'/1ºT - 0x1)

FLAMENGO: Diego Alves; Pará, Réver, Rhodolfo e Everton; Jonas (Cuéllar, intervalo), Willian Arão (Geuvânio, intervalo), Lucas Paquetá (Marlos Moreno, 17'/2ºT) e Diego; Vinicius Júnior e Henrique Dourado - T: Carpegiani.

BOTAFOGO: Jefferson; Marcinho, Carli, Igor Rabello e Moisés; Rodrigo Lindoso, Marcelo e Valencia (Rodrigo Pimpão, 30'/2ºT); Renatinho (Marcelo Benevenuto (36'/2ºT), Luiz Fernando e Brenner (Brenner, 39'/2ºT) - T: Alberto Valentim.