Torcida - Red Bull Bragantino

Torcedores do Red Bull Bragantino estão esperançosos com a parceria (Foto: Luciano Claudino)

Gabriel Santos
12/10/2021
07:45
Enviado especial a Bragança Paulista (SP)

Bragança Paulista, cidade com pouco mais de 170 mil habitantes no interior do estado, orgulha-se de abrigar um clube que desafiou as principais forças de São Paulo e do Brasil no início dos anos 90. O prestígio acumulado pelo título paulista de 90 e o vice-campeonato nacional de 91 voltou à tona com a classificação do Bragantino para a final da Copa Sul-Americana, a ser disputada no próximo dia 20 de novembro, contra o Athletico-PR, em Montevidéu. 

>> Da 'dinastia Chedid' à era Red Bull... Conheça o novo Bragantino, finalista da Copa Sul-Americana

>> Jogadores da geração anos 90 do Bragantino relembram conquistas e histórias com Luxemburgo e Parreira


A parceria com a empresa austríaca de energéticos Red Bull devolveu o clube aos seus tempos áureos. Não sem certa desconfiança inicial, logo sucedida pela euforia com os bons resultados em campo. Na terceira matéria da série especial sobre o Bragantino, o LANCE! conversou com torcedores locais para ouvir suas histórias com a agremiação e o sentimento misto que envolveu o novo modelo de gestão. 

TORCEDORES DESDE CRIANÇA E A RELAÇÃO COM A CIDADE
Marcos Alan Borges, de 42 anos, começou a acompanhar o Bragantino aos dez anos de idade. Morador da cidade desde que nasceu, ele conta que sua paixão pelo clube foi transmitida pelo pai, que o levava a diversos jogos, principalmente na "época de ouro" do time, entre 1989 e 1994. 

- Acompanho o Bragantino desde os meus dez, 11 anos de idade. Meu pai sempre me trazia ao estádio, quando tinha jogo estávamos aqui. Peguei aquela época no final da década de 80, começo dos anos 90. Vi grandes jogos nesse estádio, Casagrande, Junior, Romário... - conta Marcos, criador do canal "RB Massa Bruta", no Youtube.

> Detalhes da casa do Red Bull Bragantino: veja a estrutura do estádio Nabi Abi Chedid

> Confira imagens do projeto do novo centro de treinamento do Red Bull Bragantino

> Estrutura de ponta: saiba detalhes do CT que o Red Bull Bragantino utiliza

Torcida - Red Bull Bragantino
Marcos Alan, do canal 'RB Massa Bruta' (Foto: Luciano Claudino)

>> Veja como está a expectativa da torcida do Red Bull Bragantino em Bragança para a final da Copa Sul-Americana

Outro apaixonado pelo Bragantino é Olavo Leme de Campos Junior, de 63 anos, que possui o canal "Nação Bragantina", também no YouTube. Ele faz parte da família Leme, que tem várias ruas na cidade de Bragança Paulista com o sobrenome da família. 

- O meu pai é de Bragança Paulista, a família toda dele é de lá, tradicional de Bragança. Comecei a seguir o Bragantino em 1965, quando ele foi campeão da Série A-2 do Paulista. Eu descobri o que era o clube. Em 66, fui assistir jogos com ele contra times grandes, todos os jogos eu ia. E aí começou esse meu envolvimento - afirmou Olavo. 

- Acompanho o Bragantino desde os meus dez, onze anos de idade. Meu pai sempre me trazia ao estádio, quando tinha jogo estávamos aqui. Peguei aquela época no final da década de 80, começo dos anos 90. Vi grandes jogos aqui, Casagrande, Junior, Romário - Marcos, torcedor do Bragantino

Uma época festejada da equipe do Clube Atlético Bragantino e hoje, Red Bull Bragantino, compreende o final da década de 80 e o começo da década de 90, quando a equipe foi campeã da Série B, em 1989 e campeão paulista em 1990. Tanto Olavo quanto Marcos guardam memórias afetuosas do período, que fez a história de diversos ídolos do esporte, como Mauro Silva, campeão mundial de 94 com a Seleção Brasileira,  e Vanderlei Luxemburgo, que se tornaria um dos técnicos mais vitoriosos da história do futebol nacional. 

- Naquela época, sabíamos que o time era muito bom, mas posso dizer que foi até uma surpresa para nós, torcedores. Víamos a garra do time em campo, principalmente em 90, que foi o título que mais me marcou.  Com certeza está marcado na minha memória, consegui assistir várias partidas no estádio. Aquele time vai ficar guardado para sempre na minha memória - disse Marcos. 

- A de 1989 eu tinha dez anos. Lembro que fui no jogo da final com meu saudoso pai. Já a de 1990, fui com toda minha família. Foram momentos marcantes, ficaram sempre na memória. Ali comecei a acompanhar o Braga mais de perto - relembra Marcos. 

Torcedor - Bragantino
Olavo, torcedor e criador do 'Nação Bragantina' (Foto: Arquivo)

SEU VICENTE - O TORCEDOR SÍMBOLO DO BRAGANTINO
Quem mora em Bragança Paulista e frequenta o estádio Nabi Abi Chedid certamente conhece Vicente Lucio Barreto, tratado como "Seu Vicente". Torcedor do Bragantino desde 1965, o homem simpático e com sotaque carregado do interior paulista, relata com paixão sua relação com o clube. 

- Eu comecei a torcer pelo Bragantino graças à influência de um vizinho. Ele falava do time e eu comecei a gostar. Teve o jogo entre Bragantino e Barretos (final da Série A-2 de 1965, Bragantino campeão) e eu não pude ir, minha mãe não deixou eu ir porque foi no Pacaembu (risos). A partir daí comecei a acompanhar o clube, desde os meus 12, 13 anos quando passei a ir no estádio sozinho - relembrou. 

- Tem muitos e muitos jogos, mas a final de 90, que fomos campeões, não tem pra ninguém. Aquele dia eu cheguei em casa três horas da manhã, minha mulher quase me trancou pra fora (risos) - Vicente, torcedor símbolo do Bragantino. 

Para Vicente, o jogo mais marcante do Bragantino em que ele esteve presente é, sem dúvidas, o mais importante da história do clube: a final do Campeonato Paulista de 1990, contra o Novorizontino, quando o Braga foi campeão estadual. 

- Tem muitos e muitos jogos, mas a final de 90, que fomos campeões, não tem pra ninguém. Foi em 26 de agosto de 1990. Foi o jogo de volta, jogamos em Novo Horizonte, saímos com o empate por 1 a 1 e depois jogamos aqui, empatamos em 1 a 1 novamente, mas fomos campeões. Saímos perdendo e deu uma 'tremidinha', falei 'será?'. Mas aí, o Tiba escapou no contra-ataque e marcou o gol do título. Foi muito marcante. Aquele dia eu cheguei em casa três horas da manhã, minha mulher quase me trancou pra fora de casa (risos). Ficamos comemorando - contou Vicente. 

Torcida - Red Bull Bragantino
'Seu Vicente', torcedor símbolo do Bragantino (Foto: Luciano Claudino)

Vicente é o primeiro membro da 'Fanáticos do Puleiro', tradicional torcida do clube que marca presença nas arquibancadas e realiza ações sociais na cidade, como entregas de cestas básicas. O torcedor falou sobre o surgimento da torcida, que exibe uma faixa atrás de um dos gols do 'Nabizão'. 

- É uma torcida criada pelo Rodrigo (presidente) e o Gustavo (vice-presidente). São pessoas certas, devemos ter umas 120 pessoas cadastradas. Eles são pessoas sérias, são torcedores roxos. Estamos acompanhando o Bragantino agora nessa fase boa do clube novamente e esperamos cada vez mais estarmos juntos com o clube por muito tempo - detalhou. 

Torcida - Red Bull Bragantino
Rodrigo, fundador da Fanáticos do Puleiro (Foto: Luciano Claudino)

SAUDOSISTAS? O TIME DA RED BULL
No dia 29 de março de 2019 o Bragantino anunciou a parceria com a Red Bull para dar o "próximo passo" ao clube de Bragança Paulista. Com a mudança no nome, de Clube Atlético Bragantino para Red Bull Bragantino, havia a preocupação de uma perda de identidade do clube com a torcida. 

A primeira semana, eu 'tremi um pouco na base'. Falei: 'Meu Deus, será que é coisa séria? Não vai ser uma Parmalat que pegou o Palmeiras e afundou o Palmeiras, uma MSI que pegou o Corinthians e afundou o Corinthians?' Mas no decorrer fui vendo que era tudo seriedade - Vicente, torcedor-símbolo do Bragantino

Não para Olavo, criador do canal "Nação Bragantina", que chegou até a 'comemorar' a notícia, sabendo que seria importante para o clube. 

- Comprei champanhe, estourei, fiz uma festa (risos). Agora somos de primeiro mundo. Uma coisa que eu não sou é saudosista. Se o Bragantino tivesse na Série B, ele não seria Red Bull Bragantino, estaríamos brigando para não cair para a Série C. Eu fiz um vídeo no meu canal, onde falei que tínhamos que nos unir agora nesse momento. E algumas pessoas falaram: 'Você está torcendo para uma marca'? Eu falei: 'Gente, o mundo é uma marca'. O Bayern Leverkusen-ALE é da Bayern, o Wolfsburg-ALE é da Wolkswagen. O mundo é assim - disse o torcedor. 

A mesma opinião é compartilhada por Marcos Alan, do canal 'RB Massa Bruta' e morador da cidade de Bragança Paulista. 

- O Bragantino, depois da década de 90, passou por bastante perrengue. Não tínhamos muito investimento e um time de futebol precisa disso. Com a chegada da Red Bull, deu um novo ânimo para a cidade, criou outra expectativa. Antes, lutávamos só para não cair, para mantermos as portas abertas e hoje temos outra visão. Fui super a favor da chegada - afirmou. 

Vicente também elogiou a chegada da Red Bull ao time, mas revela uma certa 'apreensão' no começo da parceria, até por não conhecer muito o projeto apresentado para o clube. No entanto, hoje em dia, ele já não tem mais essa preocupação. 

- Eu estourei champanhe, fiz uma festa (risos). Agora somos de primeiro mundo. Uma coisa que eu não sou é saudosista - Olavo, torcedor do Bragantino

- A primeira semana, eu 'tremi um pouco na base'. Falei: 'Meu Deus, será que é coisa séria? Não vai ser uma Parmalat que pegou o Palmeiras e afundou o Palmeiras, uma MSI que pegou o Corinthians e afundou o Corinthians?' Mas no decorrer fui vendo que era tudo seriedade e espero que a Red Bull fique aí por muito tempo. Sobre a mudança de mascote, para mim, pode colocar uma galinha, um macaco, um índio, o que for (risos). O nome do Bragantino ainda está. É tudo seriedade, não tem para ninguém - afirmou o torcedor símbolo do time. 

Agora, o Red Bull Bragantino tem a missão de manter viva essa paixão dos torcedores, que nas alegrias e tristezas nunca abandonaram o clube. No entanto, uma coisa é certa: seja o que for, esses torcedores estarão lá para apoiar a equipe de Bragança Paulista, que vive em seus corações.