Ceará x Bahia - comemoração

Foto: Felipe Santos/cearasc.com

Futebol Latino
03/08/2020
17:06
Salvador (BA)

O ultimo ato da Copa do Nordeste 2020 acontecerá na noite da próxima terça-feira (4) às 21h30 onde Bahia e Ceará definem quem será o campeão nordestino na temporada marcada, principalmente, pela longa pausa da competição por conta da pandemia do novo coronavírus.

Tendo feito apenas três jogos no torneio por assumir a equipe em meio a paralisação do futebol no país, o técnico Guto Ferreira se vê com uma vantagem considerável no marcador global ao conseguir o triunfo por 3 a 1 no último sábado (1) em Pituaçu. Agora, o Vozão pode perder por até um gol de diferença que vai faturar a taça pela segunda vez na sua história já que ganhou pela primeira vez em 2015 batendo, na oportunidade, justamente o Bahia.

No caso do Tricolor baiano, a missão é bem mais complexa para conseguir aquele que seria o quarto título do torneio, o igualando com o arquirrival Vitória como o maior vencedor da Lampions League. Os outros troféus do Esquadrão vieram em 2001, 2002 e 2017.

Para não dar chance de reação, Guto fez questão de falar sua opinião sobre como deve ser a postura dos seus comandados na partida decisiva onde, se a avaliação do primeiro embate foi positiva, ela precisa ser ainda melhor pensando na partida da próxima terça:

- Se nós jogamos bem (neste sábado), nós temos que jogar muito melhor, porque a tendência é de um Bahia mais forte. E, para a gente superar esse Bahia mais forte, temos que ter um Ceará mais forte. O Mateus, que praticamente não tinha jogado, se a gente fizesse o 2 a 1 era jogo para ele. Já vinha com isso na cabeça. Muito feliz por isso, o grupo tem atenção, concentração e foco. Os resultados ocorrem pela dedicação deles. Temos muito, muito respeito ao nosso adversário.

Já na visão do Bahia, o momento é de acreditar na força do elenco e no fato do título estar em disputa no formato de duas partidas como disse o meio-campista Rodriguinho. Fazendo um paralelo, aliás, com outra situação vivida em sua carreira profissional:

- Pelo Corinthians, já passei uma final de Campeonato Paulista. A gente acabou perdendo em casa, em 2018, o primeiro jogo para o Palmeiras. Uma situação até interessante, porque era o Roger o treinador. E a gente perdeu dentro de casa por 1 a 0 e teria que jogar na casa do adversário, tendo que ganhar por 1 a 0 também. Acabou sendo feito, a gente levou a decisão para os pênaltis e fomos felizes. Possível a gente conseguir reverter esse placar. Nós estamos jogando dentro de casa, não temos o apoio da nossa torcida presencialmente. Mas tenho certeza que a torcida não vai nos abandonar e vai mandar ótimas energias para que a gente possa fazer nosso melhor trabalho, e conseguir esse resultado, que seria muito importante tanto para a confiança do grupo como para alcançar o nosso objetivo, que é o título.