Ceará x Palmeiras

Mateus Gonçalves acerta lindo chute para abrir o placar no Castelão (Foto: LC Moreira/ Lancepress!)

João Vítor Castanheira
20/07/2019
21:08
Fortaleza (CE)

O Palmeiras entrou em campo com os titulares diante do Ceará, neste sábado, para dar uma resposta às críticas de parte de sua torcida e se recuperar da eliminação na Copa do Brasil. Irreconhecível, porém, o Alviverde foi derrotado por 2 a 0 pelo Vozão, que terminou o duelo sob gritos de olé no Castelão. O Alviverde ainda viu cair uma invencibilidade de 33 jogos em partidas de Campeonato Brasileiro. O último revés do Verdão no Campeonato Brasileiro havia sido em 25 de julho do ano passado, contra o Fluminense.

O Palmeiras precisa recompor-se rapidamente. Na terça-feira, o Verdão tem a partida de ida pelas oitavas de final da Copa Libertadores, contra o Godoy Cruz, na Argentina. Pelo Brasileiro, a equipe palestrina visita o Vasco no próximo sábado. No mesmo dia, o Ceará viaja até Porto Alegre para encarar o Internacional.

TABELA
> Confira como ficou a classificação do Brasileirão e simule placares

VERDÃO NAS ALTURAS
Logo no primeiro minuto, o Palmeiras ameaçou em duas jogadas pelo alto, com cabeçadas de Deyverson e Zé Rafael, que exigiram boas defesas de Diogo Silva. Após a pressão inicial do Alviverde, porém, o domínio da partida ficou mais com o Ceará. Apesar de pouco ameaçar Weverton, o Vozão mostrava bom volume de jogo, especialmente pela esquerda, com João Lucas e Felipe Silva.

NO RABISCO CEARENSE
Para converter a boa atuação em gol, o Ceará contou com Mateus Gonçalves. Diante da apatia da marcação palmeirense, o atacante recebeu na direita, ‘rabiscou’ marcadores até chegar ao lado oposto, onde entregou para João Lucas, que chutou cruzado. Luan rebateu, e a sobra ficou para o dono do lance. Da entrada da área, o camisa 7 pegou na veia e estufou as redes de Weverton, para fazer 1 a 0. O árbitro ainda revisou uma possível falta em Deyverson, no princípio da jogada, mas manteve a decisão de campo.

MUITA PILHA, POUCA ORGANIZAÇÃO
O Palmeiras voltou ao intervalo determinado a manter a invencibilidade no Brasileiro, mas apresentou mais “pilha” do que evolução técnica. Sem conseguir explorar o potencial técnico de seus jogadores, a equipe abusava dos passes longos e das bolas cruzadas, e pouco ameaçava a meta de Diogo Silva.

RAMIRES NA ÁREA
Aos 25’ do segundo tempo, Felipão deu indícios de como pode usar reforço na temporada. Substituindo Dudu, Ramires entrou aberto pelo lado direito, onde não conseguiu ter grande influência na partida. 

VAR DECISIVO

O Palmeiras teve um pênalti aos 22’ da etapa final. Rodrigo D'alonso Ferreira, porém, reviu o lance e não não considerou irregular o toque da bola no braço do zagueiro Luiz Otávio.

FIM DA SÉRIE
Aos 24 minutos, Mateus Gonçalves deu lugar a Leandro Carvalho. Em seu primeiro toque na bola, Leandro ficou com a bola após um chutão da zaga desviado por Felipe Melo, e na saída de Weverton, deu um bonito toque para encobrir o goleiro e fazer explodir o Castelão. Era o 2 a 0 cearense e o fim de uma série invicta de 33 jogos do Palmeiras no Brasileiro.

Local: Castelão, Fortaleza (CE)
Data-Hora: 20/7/2019 - 19h
Árbitro: Rodrigo D'alonso Ferreira (SC)
Assistentes: Helton Nunes e Thiaggo Americano Labes (ambos de SC)
Árbitro de vídeo: Rodrigo Nunes de Sá (RJ) - 7,0 - Seguiu o protocolo do VAR à risca e corrigiu quando foi preciso. Alexandre Vargas Tavares de Jesus (RJ) e Carlos Berkenbrock (SC)
Público e renda: 32.287 pagantes/R$ 958.408,00
Gramado: Regular - com muitas falhas
Cartões Amarelos: Luiz Otávio, Felippe Cardoso, William Oliveira (CEA), Felipe Melo, Gustavo Gómez (PAL)
Cartões vermelhos: não houve

GOLS: Mateus Gonçalves 31’/1ºT (1-0), Leandro Carvalho 26’/2ºT (2-0)

CEARÁ: Diogo Silva; Samuel Xavier, Valdo, Luiz Otávio e João Lucas; William Oliveira (Pedro Ken, 34’/2ºT), Ricardinho, Felipe Silva (Fernando Sobral, 36’/2ºT) e Thiago Galhardo, Mateus Gonçalves (Leandro Carvalho, 24’/2ºT) e Felippe Cardoso. Técnico: Enderson Moreira

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Luan e Diogo Barbosa; Felipe Melo e Bruno Henrique; Gustavo Scarpa (intervalo, Willian), Zé Rafael (Raphael Veiga, 9’/2ºT) e Dudu (Ramires, 25’/2ºT); Deyverson. Técnico: Luiz Felipe Scolari.