Reunião Liga

Presidentes dos clubes se reuniram para debater os termos da Liga (Foto: Luiza Sá/LANCE!)

Luiza Sá
16/05/2022
16:15
Rio de Janeiro (RJ)

No encontro de cerca de três horas realizado em um hotel na Zona Sul do Rio de Janeiro nesta segunda-feira, 25 representantes de clubes das Séries A e B chegaram a um consenso sobre a divisão de receitas e como será feita a negociação para a adesão de uma Liga. O próximo passo é conversar com os 10 que já integram a Libra (Liga do Futebol Brasileiro) e buscar um acordo. Além dos 23 do Futebol Forte, Atlético-MG e Internacional também enviaram seus presidentes. As ausências mais importantes foram de Grêmio e Bahia.

+ Saiba quais times já aderiram à Libra e quem está na espera

Os mandatários presentes preferiram não entrar em detalhes, mas a divisão acordada foi de 45% igualitários, 30% de performance e outros 25% por engajamento. Esse último critério causa bastante debate pois é considerado por todos como subjetivo. Na Libra, ele engloba critérios como média de público no estádio, base de assinantes de pay-per-view, número de seguidores e engajamento em redes sociais, audiência na televisão aberta e tamanho da torcida.

Vale lembrar que nos novos critérios de divisão já há uma sinalização de meio-termo dos dois lados. Ainda não há uma data para nova reunião, mas a expectativa é que aconteça ainda nesta semana ou na outra. Para isso, foi formada uma comissão com América-MG, Atlético-MG, Fortaleza, Fluminense e Inter, além de um representante da Associação Nacional de Clubes de Futebol (ANCF), que representa um bloco de equipes da Série B.

+ Globo deve travar nova batalha com SBT por direitos de transmissão; relembre os embates entre as emissoras


O Grêmio não enviou representantes pois joga na noite desta segunda contra o Ituano, pela Série B, às 20h, mas pediu as informações da reunião. É importante ressaltar que os 40 clubes das Séries A e B foram convidados para participar do encontro, mas os participantes da Libra não confirmaram presença. São eles: Botafogo, Bragantino, Corinthians, Flamengo, Palmeiras, Santos, São Paulo, Cruzeiro, Ponte Preta e Vasco.

Estiveram nesta reunião os seguintes clubes: América-MG, Atlético-GO, Avaí, Ceará, Athletico-PR, Atlético-MG, Coritiba, Cuiabá, Juventude, Fluminense, Fortaleza, Goiás, Internacional, Chapecoense, Brusque, CSA, CRB, Náutico, Criciúma, Guarani, Londrina, Operário, Sampaio Corrêa, Sport e Vila Nova. As empresas Live Mode e Alvarez & Marsal foram nomeadas pelo grupo de clubes como consultores e participam das conversas.

O Futebol Forte inicialmente propunha uma cópia da divisão adotada na Premier League, da Inglaterra: 50% divididos igualmente, 25% por performance e 25% da receita nos critérios de engajamento, que poderia ser rediscutida adiante. Segundo eles, isso faria cair a diferença entre primeiro e último para 3,5 vezes, valor considerado mais justo. Na Libra, essa diferença entre o campeão brasileiro e o lanterna da competição geraria um abismo de até 6,5 vezes.

Para a Liga ser implantada, o estatuto da CBF define que haja a adesão de pelo menos um terço dos participantes das séries A ou B. Ou seja, a Libra precisa de 13 assinaturas. Se isso não ocorrer, o Brasileirão continua organizado pela CBF e os dois lados negociarão por conta própria seus direitos de televisão.

QUEM JÁ É INTEGRANTE DA LIBRA

Corinthians
São Paulo
Palmeiras
Santos
Bragantino
Ponte Preta
Flamengo
Vasco
Botafogo
Cruzeiro

QUEM INTEGRA O FUTEBOL FORTE

Athletico
América-MG
Atlético-GO
Avaí
Brusque
Ceará
Chapecoense
CSA
CRB
Coritiba
Criciúma
Cuiabá
Fluminense
Fortaleza
Goiás
Juventude
Londrina
Náutico
Operário
Sampaio Corrêa
Sport
Tombense
Vila Nova

QUEM SÃO OS MODERADORES E AINDA NÃO APOIARAM NENHUM DOS LADOS

Grêmio
Internacional
Bahia
Atlético-MG
Novorizontino
Guarani
Ituano