Marcio Porto
04/03/2018
19:54
São Paulo (SP)

Santos e Corinthians fizeram um clássico eletrizante neste domingo no Pacaembu. O termo soa irônico porque a partida chegou a ficar paralisada por cerca de 50 minutos por uma queda de energia no estádio municipal de São Paulo. Mas, dentro de campo, com propostas diferentes, os rivais proporcionaram grandes momentos e saíram com a igualdade de 1 a 1. Poderia ter sido diferente, se Luiz Flávio de Oliveira tivesse assinalado pênalti para o Peixe no fim. Aos 45 minutos do segundo tempo, quando a partida estava empatada, Léo Cittadini foi derrubado na área, mas o árbitro  marcou fora. Erro importante.

O resultado tira o 100% de aproveitamento do Corinthians em clássicos este ano, mas o mantém invicto. Já o Santos, após início ruim na partida, chegou ao empate com o apoio de sua torcida e tem desempenho regular contra os rivais: uma vitória, um empate e uma derrota.


A lei do ex não falha

O Corinthians começou melhor a partida, trabalhando melhor a bola e criando chances mais claras diante de muitos erros santistas. Mas só conseguiu converter em gol quando Renê Júnior resolveu arriscar de fora da área. O volante fez seu primeiro gol pelo Corinthians e colocou a valer a lei do ex. Ele teve uma passagem pelo Santos em 2013. Sorte do Timão.

O dedo de Jair, o apoio da torcida e a estrela de Diogo
Do lado do Santos, brilhou a estrela do garoto Diogo Vitor, de 21 anos. O atacante, após muitos problemas, fez seu primeiro jogo no ano e empatou o duelo aos 41 minutos do segundo tempo. Levou o Pacaembu lotado de santistas à loucura e fez valer o apoio da torcida, que cantou muito durante o jogo. E também à aposta de Jair Ventura, que mesmo sem Gabigol conseguiu equilibrar o clássico e sai com um bom empate.

O apagão
Por volta de 20 minutos do segundo tempo, houve uma queda de energia no Pacaembu que interrompeu a partida por cerca de 50 minutos. Foi a quarta vez que isso aconteceu só em jogo do Corinthians este ano (Ponte Preta, São Caetano e São Paulo). Presente nas tribunas, o prefeito de São Paulo, João Dória, deixou o espaço onde acompanhava o seu Santos no momento do apagão. Foi tentar resolver?

Pouco depois, a Secretaria de Esportes informou que o prefeito deixou o estádio, antes da volta da energia. Fato é que o jogo foi paralisado no momento em que o Peixe pressionava o Timão e voltou da mesma forma. A equipe de Fábio Carille baixou o ritmo e cedeu mais campo ao rival, que passou a levar perigo. O excesso de bolas alçadas na área sem quem concluísse, porém, atrapalhou.

A velha falta dos camisas 9
Como já era previsto, Santos e Corinthians tiveram dificuldade para definir as jogadas pela ausência de um centroavante de ofício. No Peixe, Gabigol assistiu ao jogo das tribunas acompanhando do cantor Mano Brown. E viu Sasha apagado jogando como falso 9. Já o Corinthians teve em Romero as melhores chances, mas o paraguaio finalizou mal. Vanderlei também fez uma grande defesa em chute de Rodriguinho e Jadson superou o goleiro, mas Daniel Guedes salvou em cima da linha, tudo no segundo tempo. 

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1X1 CORINTHIANS


Data/Horário: 4/3/2018, às 17 horas
Local: Estádio do Pacaembu, São Paulo (SP)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Auxiliares: Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo e Evandro de Melo Lima
Cartões amarelos: David Braz, Diogo Vitor e Vecchio (SAN); Clayson e Gabriel (COR)
Cartão vermelho:
Público e renda: 34.448 pagantes / R$ 1.052.220,00
Gols: Renê Júnior, aos 19'/1ºT (0-1) e Diogo Vitor, aos 41'/2ºT (1-1)

SANTOS: Vanderlei, Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Alison, Léo Cittadini e Vecchio (Vitor Bueno, aos 18'/2ºT) ; Rodrygo (Diogo Vitor, aos 32'/2ºT), Copete (Arthur Gomes, no intervalo) e Sasha; Técnico: Jair Ventura

CORINTHIANS: Cássio, Fagner, Balbuena, Henrique e Maycon; Gabriel e Renê Júnior; Romero, Jadson (Emerson Sheik, aos 32'/2ºT), Rodriguinho e Clayson (Júnior Dutra, aos 18'/2ºT) - Técnico: Fábio Carille.