Vinícius Faustini
15/12/2021
23:33
Curitiba (PR)

O Galo ganhou mais uma vez. Com gols de Keno e Hulk, o Atlético-MG derrotou o Athletico-PR por 2 a 1 e, na noite desta quarta-feira (15) conquistou seu bicampeonato da Copa do Brasil. Jaderson fez o gol do Furacão em um jogo muito nervoso e recheado por polêmicas na Arena da Baixada. O novo troféu fez a equipe mineira encerrar o ano de 2021 com sua Tríplice Coroa (Mineiro, Brasileiro e Copa do Brasil). 

Atlético-MG agora é bicampeão. Confira o ranking dos maiores campeões da Copa do Brasil

JOGO BEM AMARRADO

Trancos, empurrões, reclamações... Em meio a discussões e faltas, o futebol demorou a prevalecer na Arena da Baixada. O Atlético-MG apostava no ímpeto de Hulk, só que o atacante não conseguia engrenar jogadas. O Athletico-PR tentava a troca de passes com Cittadini e Terans, mas a bola não chegava com clareza a Renato Kayzer.

FURACÃO MARCA... VAR ANULA!

Aos poucos, a equipe de Alberto Valentim foi se impondo em campo ao apostar em investidas de velocidade pelos lados. Aos 19 minutos, a torcida do Athletico-PR explodiu em euforia. Léo Cittadini aproveitou uma brecha pela direita e alçou para a área. Pedro Rocha não deu uma cabeçada precisa. Contudo, aproveitou que a bola seguiu sob seu domínio e, livre de marcação, invadiu a pequena área para, diante de um Everson batido, encher o pé.

O caldeirão na Arena da Baixada fervia até o árbitro Anderson Daronco escutar o chamado do VAR e anular o gol. Segundo o árbitro de vídeo, a jogada foi anulada porque a bola tocou na mão de Pedro Rocha.

KENO CANTA DE GALO

Mesmo com o gol anulado, os donos da casa continuaram a pressionar. Só que um cochilo custou muito caro. Vargas desceu em contra-ataque e esticou a bola para Zaracho. O argentino aproveitou o espaço e serviu Keno, que encheu o pé e aumentou a vantagem do Atlético-MG.

O gol abriu novas brechas para o Galo. Hulk recebeu passe, avançou com liberdade até a área e encheu o pé. A conclusão do camisa 7, contudo, passou rente à trave. Diante de um Athletico-PR que perdeu Renato Kayzer por lesão e demorou a se reencontrar após o gol sofrido, a equipe de Cuca tinha tranquilidade para arriscar.

Vargas e Zaracho tentaram investidas. Guilherme Arana chutou cruzado e obrigou Santos a defender. Na reta final, Keno aproveitou um latifúndio e avançou até a pequena área. O atacante bateu rasteiro, mas parou em boa defesa de Santos.

E MAIS POLÊMICA

A rispidez voltou a tomar conta da partida em alguns momentos. O Athletico-PR pediu pênalti em uma suposta cotovelada de Alonso em Cittadini, mas Daronco mandou seguir. Nos acréscimos, o tempo fechou e houve troca de empurrões.

VAI COM TUDO!

O técnico Alberto Valentim promoveu as entradas de Jader e Fernando Canesin no intervalo. E o Athletico-PR retornou ao gramado de maneira avassaladora. Da entrada da área, Canesin encheu o pé e obrigou Everson a espalmar. Após um escanteio cobrado para a área, Allan desviou de forma traiçoeira e quase marcou contra.

Incisivo, o Furacão viu Canesin arriscar de longe mais uma vez. Everson novamente esticou-se e mandou a bola para fora.

GRITO PRESO NA GARGANTA

A torcida do Athletico-PR voltou a ter otimismo aos dez minutos. Vinícius Mingotti aproveitou lançamento, levou a melhor sobre a zaga do Galo e tocou no canto de Everson. No entanto, o assistente anulou o lance por impedimento.

Os donos da casa continuavam a pressionar em cruzamentos e finalizações. Marcinho bateu da intermediária. Após a bola quicar, Everson mandou para escanteio.

SEMPRE ELE!

Aos poucos, o Galo, que estava atuando mais retraído, voltou a engatar ataques. Guilherme Arana encaixou investida pela esquerda e cruzou rasteiro, mas Santos se antecipou. Em seguida, Allan fez o goleiro do Furacão se esticar para salvar.

Enquanto a Massa já ensaiava "olé", veio o esperado segundo gol em grande estilo. Um lançamento milimétrico de Savarino encontrou Hulk entre os zagueiro. O camisa 7 entrou na área, esperou a saída de Santos e tocou por cobertura para a rede.


ATHLETICO-PR VAI À LUTA E DIMINUI

Mesmo com o gol sofrido, o Furacão continuou a ir à frente. Abner e Vinícius Mingotti deram cabeçadas traiçoeiras e Everson defendeu com dificuldade. 

De tanto pressionar por via aérea, o Athletico, enfim, pôde celebrar um gol. Após bola alçada, Jaderson surgiu entre os zagueiros e completou para a rede. Nada que calasse a festa da torcida do Atlético-MG. O Galo encerra 2021 com mais um troféu na sua bagagem e motivo de sobra para comemorar.

FICHA TÉCNICA

ATHLETICO-PR 1 x 2 ATLÉTICO-MG


Data-Hora: 15-12-21 - 21h30 (de Brasília)
Estádio: Arena da Baixada, Curitiba (PR)
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa/RS)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa/SP) e Rafael da Silva Alves (Fifa/RS)
VAR: Daniel Nobre Bins (Fifa/RS)

Cartões amarelos: Vargas (ATL), Renato Kayzer, Abner, Léo Cittadini (APR)

Gols: Keno, 24/1T (0-1), Hulk, 30/2T (0-2), Jaderson, 41/2T (1-2)

ATHLETICO-PR: Santos; Marcinho (Khellven, 19/2T), Pedro Henrique, Zé Ivaldo e Abner; Erick, Léo Cittadini, Christian (Jader, intervalo) e Terans; Pedro Rocha (Jaderson, 25/2T) e Renato Kayzer (Vinícius Mingotti, 40/1T). Técnico: Alberto Valentim

ATLÉTICO-MG: Everson; Mariano, Igor Rabello, Alonso e Guilherme Arana; Allan, Jair (Tchê Tchê, 33/2T) e Zaracho (Savarino, 25/2T); Vargas (Nacho, 18/2T), Keno (Calebe, 26/2T) e Hulk (Eduardo Sasha, 34/2T). Técnico: Cuca

Athletico x Atletico-MG - Comemoração Atlético-MG
Jogadores do Atlético-MG comemoram o gol de Keno, o primeiro na vitória sobre o Furacão (Foto: Divulgação / Atlético-MG)