LANCE!
26/10/2018
09:30
Igor Galletti*

O Real Valladolid é uma das surpresas do Campeonato Espanhol. Em sexto lugar, pode assumir a liderança, junto com o Barcelona, se vencer o Espanyol, nesta sexta-feira. Com a segunda melhor defesa da competição, o clube pode alcançar e superar marcas de sua história nesta temporada.

Além do desempenho dentro de campo, o clube espanhol ganhou os noticiários europeus depois de ser comprado pelo ex-craque Ronaldo Fenômeno. O L! conversou com o correspondente do jornal espanhol 'As', em Valladolid, Ignacio Bailador, para entender a influência do brasileiro no desempenho atual da equipe e conhecer um pouco mais do surpreendente clube.

Em busca de recordes
O Valladolid vive um momento especial. Atualmente, ocupa o sexto lugar do Campeonato Espanhol, com 15 pontos. Ao todo, soma quatro vitórias, três empates e duas derrotas em nove jogos. O próximo adversário é o Espanyol, nesta sexta-feira, às 16h, em casa.

Em caso de vitória, o Valladolid vai chegar aos 18 pontos, mesma pontuação do Barcelona e vai dividir a liderança com a equipe catalã. O clube está há cinco jogos invicto na competição, com quatro vitórias e um empate. Caso vença o Espanyol, o Vallodolid vai alcançar a maior sequência de vitórias de sua história, tendo em vista que, em 1950, o clube conseguiu cinco triunfos consecutivos.

A liderança também não é algo em que o clube está acostumado, a melhor colocação dos Pucelanos foi na edição de 1962/63, quando terminou o Campeonato Espanhol em quarto lugar.

- O Valladolid tem agora a oportunidade de se juntar aos grandes. Se ganhar do Espanyol, dorme na liderança junto com o Barcelona, com 18 pontos. E isso é histórico. Se vai ter continuidade? Acho muito difícil. Mas esse time está fazendo coisas importantes e inesperadas. O normal, porém, é brigar para não ser rebaixado, mas nunca se sabe - disse Ignacio

O elenco mais barato sonha com o topo
O desempenho impressiona também por conta de seu valor de mercado. O clube acabou de subir para a Primeira Divisão e tem um elenco avaliado em 31 milhões de euros (R$ 130,7 milhões). Para se ter um comparativo com os gigantes espanhóis, o Barcelona vale 1,14 bilhão de euros (R$ 4,81 bilhões), o Real Madrid, 969 milhões (R$ 4 bilhões), enquanto o Atlético é avaliado em 907 milhões (R$ 3,8 milhões). Ou seja, o Valladolid pode dividir a liderança com o Barça, valendo 1,1 bilhão de euros (R$ 4,64 bilhões) a menos.

- O Valladolid é um time que acabou de subir de divisão. A equipe manteve o treinador e quase os mesmos jogadores. Os atletas acreditam muito no técnico. Também não houveram muitas mudanças no staff. Deve-se levar em consideração também que o clube tem o elenco mais barato da Liga – disse Ignacio

Motivação fenomenal
O início de temporada também foi uma surpresa para o Valladolid. O ex-craque e multicampeão Ronaldo Fenômeno adquiriu 51% das ações da equipe e se tornou acionista majoritário, ou seja, virou o dono do clube. O brasileiro ficou como presidente do conselho, enquanto Carlos Suárez permaneceu como presidente da agremiação.

Em sua gestão, Ronaldo não contratou nenhum novo jogador e também não fez novos investimentos. A primeira ação de Ronaldo foi a de manter o treinador Sérgio Gonzáles e o atual elenco. Entrosados, a manutenção do trabalho da temporada anterior foi essencial.

- Com a união de todos estou convencido de que será difícil ganhar de nós. Queremos crescer até onde nosso sonho permitir. Quero que todos participem do clube e convido a torcida para participar desse projeto. Dando ideias, opiniões, críticas e esperanças. Quero que todos façam parte do presente e do futuro do Valladolid - disse Ronaldo em sua apresentação

A maior influência do brasileiro, porém, foi no fora de campo. Duas vezes melhor jogador do mundo, dois títulos de Copa do Mundo e estrela em grandes times da Europa, a presença de Ronaldo deu ânimo aos jogadores. O ex-atacante da Seleção Brasileira se aproximou do grupo, passando confiança e tranquilidade para o elenco, o que foi um dos motivos que potencializaram o desempenho e os resultados dentro de campo.

- A equipe estava jogando bem, mas não conseguia ganhar. Quando Ronaldo chegou, trouxe tranquilidade. Ele renovou o contrato do treinador e foi muito próximo do elenco, dando confiança. Ronaldo falou no dia da apresentação que não queria mudar nada, porque gostava do rumo que as coisas estavam tomando. Ele não mudou nada, mas trouxe muita tranquilidade. Esse é o grande segredo: dar confiança e tranquilidade – diz Ignacio

A defesa é o melhor ataque
O principal destaque da equipe é o jogo coletivo. A união dos jogadores, dentro e fora de campo, é um dos valores primordiais para os bons resultados. Esse fator, porém, não impede que alguns jogadores se destaquem individualmente.

O lateral-esquerdo Nacho junto com o zagueiro Calero, de 23 anos, são os jogadores que mais atuaram na temporada, com 810 minutos. O meia Rúben Alcáraz, de 27 anos, tem chamado a atenção de outros clubes europeus, assim como Calero. Na parte ofensiva, o atacante turco Enes Ünal, de 21 anos, já marcou dois gols em sete jogos e é um dos artilheiros da equipe. 

A defesa, porém, é o principal setor do Valladolid. A equipe sofreu apenas seis gols em nove jogos, o que faz a defesa do clube ser a segunda melhor do Campeonato Espanhol, perdendo apenas para o Atlético de Madrid. O Barcelona, por exemplo, sofreu 11 gols, enquanto o Real Madrid, sofreu nove.

- O segredo da equipe é o grupo. Tem jogadores que estão se destacando, mas a chave é a união do time. O lateral esquerdo Nacho está jogando muito bem, dando assistências. Calero é um jogador que está muito bem de volante, já existem times querendo contrata-lo e sua multa é de 11 milhões de euros. O meia Rúben Alcaráz é o jogador que mais rouba bolas na Liga, está surpreendendo e também está na mira de outros clubes – analisa Ignacio

Ainda no início da temporada, é difícil definir até onde qualquer clube, do mais caro ao mais tradicional, pode chegar. O Valladolid, porém, com os pés no chão, a equipe unida e um apoio fenomenal, tem tudo para, como dizem os espanhóis, "mantener la ilusión", isto é, manter a esperança, o desejo e a vontade.

*sob a supervisão de Bernardo Cruz