Stiven Plaza (dir.)

Stiven Plaza (à direita) é uma das promessas do futebol equatoriano e já foi negociado para o Valladolid (Reprodução)

LANCE!
05/04/2019
13:40
Quito (EQU)

Campeão do Sul-Americano sub-20 de 2019, o Equador tem uma grande safra de jovens que tem tudo para brilhar no futuro e que já despertam interesses de clubes da Europa. A LifePro, empresa brasileira que agencia atletas como Marcelo, do Real, e Danilo, do City, firmou uma parceria com empresários equatorianos para negociar essas promessas com equipes do Velho Continente.

- No Equador, o Independiente Del Valle é um clube que aposta muito nas categorias de base e tem muito jogadores na seleção. Quanto mais os clubes apostarem na base e as seleções derem resultado, cada vez mais vão ser exportadores de talentos para a Europa. Se esses jogadores tiverem grandes atuações e se adaptarem bem, vão estimular os europeus cada vez mais a apostarem no Equador - comentou Marco Cantieri, sócio-diretor da LifePro.

A empresa brasileira, que tem sede no Rio da Janeiro, Porto Alegre e Madri, já realizou as transferências de Stiven Plaza, de 20 anos, para o Valladolid, e Gonzalo Plata, de 18 anos, para o Sporting. Ambos eram jogadores do Independiente Del Valle, que tem abastecido a seleção do país com grandes atletas, sendo cinco do plantel campeão do Sul-Americano sub-20. Ronaldo Fenômeno, dono do Valladolid, comemorou a chegada de Plaza.

- É questão de tempo para para que consiga todos os objetivos que possui. Com as instalações que conheci aqui, é questão de tempo que seja campeão do Equador. Pode se tornar facilmente uma fábrica de talentos. Eles devem continuar fazendo isso todos os anos. Espero contratar um a cada ano, por que não?! Vamos ver no futuro - disse o ex-craque mundial.

Jogador do América-EQU, o capitão do recente título, José Cifuentes, deve ser o próximo com rumo a Europa. O volante se destacou na campanha do título e tem sido alvo de desejo de clubes do velho continente.

- Fui ao Sul-Americano Sub-20 , no Chile, fui agora ao Sul-Americano Sub-17, no Peru. Todos ficaram impressionados com a força física dos jogadores do Equador, com a qualidade deles... Cada vez mais, os empresários vão começar a olhar para lá. Mas, por ser um mercado menor, ainda é muito fechado e gera um certo receio dos europeus. Por isso, fizemos essas parcerias e, com nosso know how e credibilidade no mercado, ajudamos esses jovens jogadores a chegarem ao mercado europeu - ressalta Cantieri.