Mason Mount, do Chelsea, e Phil Foden, do City.

Mount e Foden são destaques em Chelsea e City (Foto: Montagem LANCE!

Rafael Bizarelo
27/05/2021
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

A final da Champions League, que será disputada às 16h (de Brasília) por Chelsea e Manchester City, terá dois jovens jogadores como protagonistas de cada time. Mason Mount, dos Blues, e Phil Foden, dos Citzens, assumiram papéis principais em cada uma das equipes durante a temporada.

Mason Mount, do Chelsea, é o meia que mais participou da partidas do Chelsea na temporada, superando jogadores como Kanté, Jorginho e Kovacic. Aos 22 anos, a jovem estrela se destacou ainda mais em 2020/2021 do que na última época.

Os 36 jogos de Mount na Premier League juntam-se aos dez na Champions League, formando uma temporada já bastante consistente da jovem estrela da equipe do Chelsea. O jogador manteve-se como peça fundamental do time após a saída de Frank Lampard para a contratação de Thomas Tuchel no cargo de treinador.

O Manchester City apresenta outro jovem jogador com enorme potencial. Phil Foden, de 20 anos, assumiu um papel fundamental na equipe. O atleta pode atuar tanto no meio de campo quanto nas duas pontas, e coloca jogadores como Agüero, Sterling e Gabriel Jesus no banco.

Na temporada, Foden só não ultrapassou Gundogan como artilheiro da equipe, e apenas por um gol. Enquanto o jovem jogador inglês soma 16 gols, o volante alemão, que fez ótima temporada, segue como goleador com um total de 17 gols.

INVESTIMENTO NA BASE
​O sucesso dos dois jogadores não fica apenas nos números dentro de campo, mas também evidencia como as enormes cifras de Chelsea e Manchester City não servem apenas para contratar as grandes estrelas do futebol mundial, mas também para o investimento na base.

O Chelsea conta com bons jogadores que saíram da base em seu time principal. Muitos são emprestados para equipes de menor expressão, como foi o caso de Mount, que ganhou experiência jogando a Championship, a segundona inglesa, pelo Derby County, treinado por Frank Lampard.

Nos Blues, destacam-se Reece James e Mason Mount, frequentemente titulares da equipe. Além deles, Tammy Abraham e Billy Gilmour brigam por espaço, com este último jogando em partidas contra times de menor expressão nas copas.

O processo de desenvolvimento na formação da base do Manchester City é mais recente do que o do Chelsea. Com a chegada de ex-profissionais do Barcelona, muitos jovens jogadores foram para a Inglaterra com a mentalidade catalã.

No time principal dos Citzens, apenas Phil Foden e Eric García saíram da base do clube, mas este último está de saída para o Barcelona. Jogadores como o atacante Liam Delap e o meia Adrián Bernabé, porém, ganham destaque nas categorias de base, e buscam espaço no time de Guardiola.

Mason Mount e Phil Foden mostram como o sucesso de jogadores que saem da base é possível em clubes de alto investimento. O primeiro precisou passar por um período de empréstimo, enquanto o segundo precisou de pouco tempo para assumir o protagonismo do time.

Seleção Inglesa
Foden e Mount brilham na Seleção Inglesa (Foto: GENT SHKULLAKU/AFP)

SUCESSO NA SELEÇÃO
O desempenho dos dois jogadores também os levou para a Seleção Inglesa, onde são titulares. A equipe de Gareth Southgate conta com diversos jovens jogadores de uma geração de ouro dos britânicos, e tem os dois finalistas de Champions como boas estrelas.

Mount e Foden entram como craques de uma geração promissora, que ainda conta com jogadores com Jude Bellingham (17), Rashford (23), Saka (19) e Rice (22). Na próxima Eurocopa, que tera início neste mês de junho, os dois jovens já entram como titulares da Inglaterra.