Pablo Marí - Arsenal

Pablo Marí deixou sua marca contra o Rapid Viena, na Liga Europa (Foto: Divulgação / Site oficial do Arsenal)

LANCE!
14/01/2021
15:06
Londres (ING)

Prestes a completar um ano como jogador do Arsenal, o zagueiro Pablo Marí, ex-Flamengo, está feliz na capital da Inglaterra. Em entrevista para o jornalista João Castelo-Branco, da "ESPN Brasil", o espanhol falou sobre as dificuldades que viveu quando chegou à Terra da Rainha, mas afirmou que já superou as adversidades e está em sua melhor fase.

+ Veja a tabela da Premier League


- Foi um ano muito complicado, mas ao final desfrutei muito deste período. Sempre tem que aprender coisas. E aprendi que, quando se trabalha duro todos os dias, ao final consegue uma recompensa. Minha recompensa é estar muito bem fisicamente, creio que é o meu melhor momento na minha carreira futebolística, graças aos preparadores físicos e a todos do estafe que tivemos aqui, que me ajudaram durante seis meses - disse Pablo Marí.

O defensor de 27 anos demorou a estrear no time principal do Arsenal, e assim que as chances estavam começando a aparecer o mundo foi surpreendido pela pandemia da Covid-19. De volta após alguns meses de paralisação, Marí sofreu uma grave lesão no tornozelo na primeira partida após o lockdown.

- Trabalhei muito duro durante muito tempo, inclusive houve vezes durante minha lesão que trabalhei de manhã e à tarde em minha casa para estar preparado e mais forte. Na minha cabeça, eu me levantava cada manhã pensando que, no momento depois de minha lesão, que me dessem a oportunidade de jogar, tinha que aproveitá-la. Tinha que pegar essa oportunidade e não soltá-la.

+ Agüero está livre para assinar com qualquer clube; confira outros nomes da Europa que estão na mesma condição

E foi exatamente isso que o espanhol fez. O camisa 22 voltou a entrar em campo em dezembro, pela Liga Europa, chegando a marcar um gol. Nos últimos quatro jogos do Arsenal, sendo três pela Premier League e um pela Copa da Inglaterra, Marí foi titular em todos, sem ser substituído, e parece ser peça importante no time de Arteta, que vem numa crescente.

- Tínhamos um vestiário que todo mundo estava remando para o mesmo lugar, para mudar essa dinâmica o mais cedo possível, mas os resultados que precisávamos não chegavam. Creio que antes do jogo com o Chelsea tivemos partidas que merecíamos mais, mas não conseguimos a vitória para dar esse ar à equipe, para mudar essa dinâmica. Contra o Chelsea conseguimos, foi uma partida de inflexão - disse o campeão brasileiro e da Libertadores em 2019 com o Flamengo.