Coletiva Argentina 27.06.19 - Scaloni

Lionel Scaloni dirige a seleção argentina até dezembro - FOTO: Magalhães Jr/PHOTOPRESS/Lancepress!

Fellipe Lucena
05/07/2019
15:28
São Paulo (SP)

A arbitragem da semifinal contra o Brasil segue sendo assunto na seleção argentina. O técnico Lionel Scaloni iniciou sua entrevista coletiva desta sexta-feira, em Itaquera, dizendo estar cada vez mais convicto de que os hermanos foram prejudicados no Mineirão e que poderiam estar se preparando para a final da Copa América. O que restou foi a disputa do terceiro lugar, às 16h de sábado, na Arena Corinthians, contra o Chile.

- Vinhamos conversando agora no carro. Normalmente, no calor da partida, a primeira reação é pensar que te tiraram algo. No outro dia, mais frio, as coisas vão mudando. Dessa vez, quanto mais passa o tempo mais nos damos conta de que nos tiraram algo, não tenho dúvidas. Estamos doídos, jogamos o suficiente para chegarmos na final. O tema do VAR, a arbitragem, os detalhes pequenos da partida... Hoje, mais frio, me dou conta de que realmente aconteceu algo. Mas já passou - declarou, sem entrar em detalhes sobre a carta que a AFA enviou à Conmebol com diversas reclamações sobre o torneio.


Scaloni ainda confirmou que conversou com o presidente da AFA, Claudio Tapia, e que sua permanência no cargo está assegurada até dezembro deste ano, quando termina o contrato atual.

- Conversei com o presidente há pouco. Seguramente continuamos até 30 de dezembro, que é quando meu contrato termina. Depois disso não sei. O que está claro é que estarei à frente nessas seis partidas que virão, depois a AFA tomará uma decisão. Agora isso não é o mais importante, mas essa foi a conversa que tive com o presidente.


O treinador ainda foi questionado sobre a importância do jogo de sábado. Vidal, craque chileno, disse que não vê "muito sentido em disputar o terceiro lugar". Scaloni contemporizou essa declaração e disse que a partida é importante também para confirmar a evolução de sua equipe, que começou mal a Copa América e foi crescendo.

- Vidal falou saindo do jogo. Quando passa o tempo você se dá conta de que a partida é importante. Você está na seleção. Não é igual ser terceiro ou quatro. Não temos Acuña e nem Lautaro (suspensos), mudaremos da melhor maneira, mas não muito mais que isso - comentou.

- Todos estão motivados. Logicamente o dia depois do Brasil foi longo, difícil, mas todos estão com gana, todos querem jogar e terminar da melhor maneira. É importante manter a imagem que deixamos nas últimas partidas, para mostrar que temos um rumo.