Corinthians x Palmeiras

Premiere: Duelo entre Corinthians e Palmeiras pelo Paulistão (Foto: Cesar Greco / Palmeiras)

LANCE!
28/03/2021
11:07
São Paulo (SP)

A Globo já imagina uma queda no número de assinantes do canal por pay-per-view Premiere. Sem o Cariocão, que agora está na Record, e com o Campeonato Paulista paralisado por conta da Covid-19, a emissora voltará a ter um mês de diminuição de pessoas pagando pelo serviço. Será a primeira vez que isso acontece desde a retomada do futebol brasileiro, em julho de 2020. As informações são do Uol.

+ Veja a tabela de classificação dos estaduais pelo Brasil

De acordo com o portal, a Globo prevê uma queda na base de clientes, algo entre 30 a 40 mil pessoas desistindo da assinatura. Sem a principal competição do PPV, que é o Brasileirão, o Premiere geralmente sofre a diminuição. Porém, desta vez, a perda pode ser maior que o habitual. Isso significaria uma complicação na arrecadação que poderá atrapalhar os negócios e o fechamento das contas para pagar os clubes sob contrato após o fim da temporada. 

As finanças de abril também já começariam a preocupar. Outro aspecto relevante seria escolha dos assinantes de cortarem o Premiere para assinar com o PPV do Cariocão. Em 2020, entre março e julho, a Globo havia perdido cerca de 400 mil assinantes por conta do começo da pandemia. Um anos depois, ela viu mais da metade do número perdido voltar ao canal.

A Globo afirmou que não pressionará os clubes de São Paulo e respeitará a decisão sobre a volta dos clubes ao futebol. A Federação Paulistas e as equipes do estadual conversam para acertar a forma mais segura de manter a competição. Entre tentativas de jogar no Rio de Janeiro e em Minas Gerais, o Paulistão foi paralisado. Uma decisão do governador de São Paulo João Dória (PSDB) decretando a proibição de partidas no Estado facilitou a pausa.

A decisão de incluir eventos esportivos na lista de atividades proibidas no estado foi tomada a pedido do Ministério Público. A medida, que iria inicialmente até o dia 30 de março, foi estendida até 11 de abril. Os debates acontecem após o aumento de casos e mortes de Covid-19 no país. Cerca de 300 mil brasileiros já morreram pela doença no Brasil, e a média de novas mortes segue aumentando diariamente.