Treino Corinthians

Aos poucos, futebol começa a ensaiar volta no Brasil (Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)

Matheus Costa*
01/07/2020
14:24
Rio de Janeiro (RJ)

Aos poucos, o futebol vai voltando ao redor do mundo durante a pandemia do COVID-19 com os protocolos necessários. Entretanto, esta não é a última preocupação que envolve a volta das atividades, já que os atletas estão de quarentena há mais de dois meses. Sem uma preparação necessária, lesões se tornarão constantes.

Ao L!, a nutricionista Maria Clara Pinheiro explicou como o preparo dos atletas deve ser realizado e os cuidados com a alimentação durante o retorno aos treinos e, consequentemente, aos jogos. 

- Com a volta dos treinos, jogos e campeonatos os atletas precisam se atentar aos cuidados com a alimentação e a boa nutrição. Após um longo período afastados das competições de alto nível e dos treinos intensos, a tendência é que o percentual de gordura dos esportistas esteja aumentado e a massa muscular esteja levemente diminuída. Por isso, é muito importante readequar os hábitos alimentares e focar nos treinos para voltar o mais breve possível a melhor forma física - afirmou. 

Um dos grandes fatores de preocupação é a redução do percentual de gordura, que aumenta durante a quarentena e sem os exercícios adequados com a estrutura necessária. 

- É muito importante que o atleta procure fazer uma dieta equilibrada, sem restrições muito intensas, e que contemple todos os macronutrientes (proteínas, carboidratos e gorduras) em quantidades ajustadas as suas necessidades. Com a volta às atividades esportivas é possível que rapidamente o atleta recupere seu percentual de gordura adequado, se voltar a se alimentar sem os possíveis exageros cometidos durante o período de isolamento social. Cortar o excesso de doces, frituras e álcool que por ventura foram consumidos neste pedido, também ajudará ao atleta voltar a sua melhor forma física. Cuidar para que a ansiedade por recuperar o físico ideal, não faça com que o atleta opte por uma dieta extremamente restritiva e que pode inclusive comprometer seu desempenho no esporte - completou.

Entretanto, o processo de emagrecimento não pode ser acelerado ou feito de qualquer maneira, já que os riscos de ter pressa em retomar o antigo físico são altos. 

- Perder peso não necessariamente significa emagrecer. Quando perdemos peso, podemos estar perdendo água, massa muscular e gordura. Emagrecer adequadamente é perder apenas, ou pelo menos prioritariamente, gordura. O risco de um atleta que decida emagrecer de maneira muito acelerada e sem o devido acompanhamento nutricional, é perder massa muscular durante esse processo. A perda de massa muscular diminui a performance do atleta e pode dificultar ainda mais a volta ao melhor desempenho físico. Por isso, recorrer a dietas extremante restritivas é altamente desaconselhável. A pressa por voltar a antiga forma, pode atrapalhar mais do que ajudar - explicou.

Afinal, como os atletas devem alinhar suas dietas com os treinos para evitar lesões e problemas físicos? A especialista, Mestre e Doutora em Ciências pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS)/Fiocruz e Pós graduada em Nutrição clínica, esportiva e fitoterapia pela Universidade de Barra Mansa (UBM), dá as dicas essenciais para um retorno perfeito.

- Para que a recuperação da forma física se dê de maneira adequada, o ideal é que a dieta do atleta vá se adaptando a nova rotina de treinos. Conforme a intensidade dos exercícios for aumentando, as calorias ofertadas na dieta vão aumentando também. Não excluir um determinado grupo de alimentos (por exemplo carboidratos) e não recorrer a métodos extremante restritivos ajuda o atleta a não cair em ciladas alimentares - concluiu.

*Estagiário sob a supervisão de Tadeu Rocha.