Robson do Nascimento, ex-funcionário do meio-campista Fernando, segue preso na Rússia desde março de 2019

Robson estava detido desde fevereiro de 2018 (Foto: Reprodução)

LANCE!
02/05/2021
13:05
Brasília (DF)

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, anunciou pelas redes sociais que o motorista Robson Oliveira, que foi preso na Rússia, foi libertado pelo governo russo e deve retornar ao Brasil ainda nesta semana. A liberação através de um perdão era esperada há um mês e dependia de uma assinatura do presidente russo Vladimir Putin.

+ Confira a tabela atualizada da Copa do Brasil

- Depois de uma longa negociação com o governo russo, foi anunciado no dia de hoje a liberdade do Robson, que trabalhava com Fernando no Spartak de Moscou. Eu quero agradecer o governo russo por ter o liberado. O que Robson usava [na verdade transportava] era permitido no Brasil, o medicamento. Mas lá na Rússia não e o governo russo então seguiu a legislação local - disse Bolsonaro, no Facebook.

- Então foram dois anos que o Robson passou detido na Rússia e hoje agradecemos ao presidente (Da Rússia, Vladimir) Putin, ao embaixador russo no Brasil bem como ao nosso embaixador que está na Rússia - completou o presidente, dizendo ainda que Robson pode retornar ao Brasil já na próxima quinta-feira.

Detido na Rússia desde fevereiro de 2018, o brasileiro Robson Nascimento de Oliveira, de 48 anos, chegou a ser condenado pela Justiça russa em pena mínima de três anos após entrar no país com substâncias legais no Brasil e proibidas no país de Putin. A decisão chegou a ser comemorada já que a promotoria havia enviado um pedido de 12 anos de prisão.

Robson afirma que foi contratado por Fernando, volante ex-Seleção Brasileira e atualmente no Beijing Guoan, para ser motorista do jogador enquanto ele atuava na Rússia. Ele desembarcou no país com duas caixas do remédio Mytedom 10mg (cloridrato de metadona) e foi detido por contrabando e tentativa de tráfico de drogas.

Na ocasião, Robson alegou ter levado os remédios em uma mala sem seu conhecimento, chorou bastante ao saber a opção da Justiça, que surpreendeu. O meia Fernando deu sua versão dos fatos e afirmou que o remédio era para o sogro dele. Esta versão é diferente do que ele teria dito aos investigadores russos, em junho, de acordo com o 'Globo Esporte'.