Montagem Romulo Mendonça Benja

É oficial: Cade aprova a fusão entre Fox Sports e ESPN (Reprodução)

Matheus Costa*
06/05/2020
11:56
Rio de Janeiro (RJ)

Em votação realizada pelos conselheiros do Cade na manhã desta quarta-feira, foi aprovada a fusão da ESPN com a Fox Sports. O órgão público reuniu o presidente Alexandre Barreto, o conselheiro relator Luiz Henrique Braido e os conselheiros Mauricio Oscar, Paula Azevedo, Sérgio Ragnani, Luiz Hoffman e Lenisa Prado. Destes, todos votaram pela aprovação, exceto Lenisa, que pediu uma investigação posterior sobre os possíveis danos ao mercado.

A fusão não colocará fim ao canal da Fox Sports, muito pelo contrário. A aprovação prevê algumas obrigações para a Disney, como manter o funcionamento integral do canal até o dia 31 de dezembro de 2021, com a exibição da Copa Libertadores sendo obrigatória. Entretanto, há uma novidade: o conselho permite que canais irmãos possam usufruir os direitos. Ou seja: a ESPN poderá transmitir jogos da Copa Libertadores em sua marca.

O relator do caso Luis Henrique Braido, que já havia manifestado o voto positivo sobre a fusão na última quinta-feira, iniciou a votação exaltando os esforços para encontrar um comprador para a marca, embora não tenha sido possível. Como antecipado pelo LANCE!, Braido citou um dos grandes motivos que dificultou a venda foi a operação financeira do canal Fox Sports, que ficou no vermelho durante todo ano de 2019.

Passando a preocupação do órgão em manter a diversidade de canais na TV fechada, a obrigação da Disney em manter o funcionamento da Fox Sports até o dia 31 de dezembro de 2021 é uma forma de minimizar os possíveis impactos no mercado. Depois dessa data, torna-se uma opção da empresa em continuar ou descontinuar a posse dos direitos do nome do canal. Caso não queira, ela poderá ser negociada.

Ele também cita o interesse de três empresas que foram consultadas para a venda do canal, mas a operação financeira da emissora afastou o interesse, já que a chance de lucro na operação do dia a dia era tida como improvável pelos envolvidos. Um quarto interessado, a Rio Motorsports, que tentou suspender a sessão com uma liminar na noite de terça-feira, não mostrou garantias financeiras para a aquisição do canal.

Braido encerrou seu longo discurso requisitando uma investigação contra as programadas e operadoras de TV por assinatura, citando uma possível descriminação de preço, que desfavorece o mercado e impede a criação de novos canais esportivos, facilitando uma menor concorrência na TV fechada no país.

Procurada pelo LANCE!, a Disney se posicionou sobre o assunto e se mostrou contente com a aprovação do Cade sobre a fusão com a Fox Sports. Confira o pronunciamento:

- Atribuído a Hernán Estrada, SVP & GM TWDC Brasil:

A The Walt Disney Company (Disney) está satisfeita com a decisão publicada pelo CADE nesta quarta-feira, Conselho Administrativo de Defesa Econômica, de aprovar a aquisição das redes de esportes a cabo adquiridas pela Disney no Brasil em sua fusão com a 21st Century Fox. De acordo com os termos desta resolução, a Disney espera oferecer um conteúdo ainda mais variado e qualificado de esporte e entretenimento para os consumidores no Brasil - afirmou.

*Sob supervisão de Tadeu Rocha