Orejuela

Orejuela fez um bom primeiro semestre, mas caiu de produção no segundo (Foto: Mailson Santana/Fluminense F.C.)

Marcello Neves
16/10/2018
08:00
Rio de Janeiro (RJ) 

A passagem de Jefferson Orejuela pelo Fluminense foi de exatamente um ano - anunciado em dezembro de 2016 junto ao Independiente Del Valle (EQU) e emprestado a LDU (EQU) em dezembro em 2017. No Tricolor, passagem de altos e baixos: um primeiro semestre excelente e um segundo onde foi bastante criticado. Ao LANCE!, o volante reconheceu a queda de rendimento e confirmou que os problemas pessoais que estava vivendo atrapalharam a sua concentração. 

- Foi uma passagem excelente. Joguei muitas partidas, ganhei um torneio Carioca (Taça Guanabara). Fiz bons amigos e foi um ano lindo. Foi uma boa experiência. Sim, o problema foi esse (problemas de saúde com a sua mãe). O Junior Sornoza sabia porque eu havia comentado sobre o tema com ele - revelou Orejuela, lembrando da coletiva de imprensa em que Sornoza falou sobre os problemas pessoais vividos pelo companheiro. 

'Poucos jogadores se adaptam ao Brasil. Cabezas pode estar passando por isso"

O volante foi o primeiro da série de equatorianos contratados pelo Flu junto ao Independiente Del Valle. Junior Sornoza é exemplo de sucesso, mas é Bryan Cabezas quem desperta curiosidade da torcida tricolor. Três meses após ser contratado, sequer estreou e traz dúvidas sobre os motivos para não ser escalado. Orejuela comentou sobre o companheiro, citou a adaptação como motivo de dificuldade e torce para vê-lo ganhando minutos. 

- A verdade é que são poucos os jogadores que se adaptam ao Brasil. É um futebol muito competitivo, de jogadores de alto nível, de muita exigência. Creio que possa estar passando por aí a situação do Bryan (Cabezas), pela adatapção... Ele não vinha jogando na outra equipe e não tem esse ritmo de jogo. Pode estar complicando a sua adaptação. Espero vê-lo ganhar minutos - afirmou o volante, antes de completar: 

- Pode passar pelo idioma (o maior problema), mas não sei ao certo. Bryan esteve em equipes europeias e sabe como é isso. A adaptação deve ser o de menos, ele deve se acostumar o mais rápido possível. Sei que o elenco tem bons garotos e o ambiente é bom no Fluminense, isso pode ajudá-lo. 

Orejuela tem contrato de empréstimo com a LDU até o final da temporada. O Fluminense detém 60% dos direitos econômicos do jogador - o restante pertence ao Independiente del Valle - e o contrato vai até dezembro de 2020. Sobre um possível retorno, diz que está feliz no Equador, mas que voltaria sem problemas. 

- Tenho contrato com o Fluminense, mas estou emprestado a LDU. Me sinto bem aqui, tranquilo. Se for o caso de voltar ao Fluminense, farei com o maior agrado. Jogar a Libertadores com a LDU seria um prêmio, mas a última palavra será do Fluminense que é dono dos meus direitos esportivos e também do meu representante. Depende também se a LDU quer contar comigo no próximo ano e da minha vontade. A ideia é poder decidir o melhor para o meu futuro e para o meu bem estar. 

Orejuela
Orejuela chegou ao Flu em dezembro de 2016 (Foto: Lucas Merçon/FFC)

Confira outros trechos da entrevista com Orejuela ao LANCE!: 

Passagem pelo Fluminense
Sempre que estive no clube, pude ser protagonista, jogar o meu futebol e ganhar o carinho da torcida. Os torcedores me mandam mensagens. Vejo muitas mensagens no Twitter pedindo por uma volta. Tenho carinho.  

Problema no vestiário após a eliminação na Sul-Americana
Nunca houve nada. Li notícias que teria ocorrido algum tipo de desentendimento. Não ocorreu nada, éramos um grande grupo e isso nunca aconteceu. 

Adaptação no Rio
Quando cheguei encontrei grandes seres humanos, companheiros, um grande professor que foi o Abel Braga. Não me sentia um estrangeiro, me passavam muita confiança. Minha adaptação foi muito rápida. 

Relação com Sornoza e Cabezas
Minha relação com Sornoza é muito boa, éramos companheiros de Independente. Fiz boas amizade no Flu, Wellington Silva, Douglas, Pedro, Júlio César, Matheus Alessandro... Foram grandes companheiros. Sempre converso com Sornoza. Temos contato. Com Bryan um pouco menos. Tenho uma boa amizade com eles.