icons.title signature.placeholder Matheus Babo
01/10/2015
14:34

A lateral esquerda do Fluminense foi dominada por Carlinhos, atualmente no São Paulo, por cinco temporadas. Entre 2010 e 2014, o jogador foi titular absoluto da posição e participou da conquista de dois Brasileiros e um Carioca. No fim do ano passado, o vínculo dele com o clube terminou, a renovação não veio e a camisa 6 ficou vaga. Desde janeiro, Giovanni, Guilherme Santos (que já foi embora) e Breno Lopes, foram contratados para a posição. Destaque do sub-20, Léo Pelé foi promovido e agradou. Mas uma lesão no quinto metatarso do pé direito o tirou de combate este ano. A bruxa está solta!

Giovanni foi quem mais jogou por ali nesta temporada. Contratado junto ao Criciúma, o jogador ganhou a confiança de Cristovão Borges na pré-temporada e chegou a receber uma proposta do Olympiacos (GRE), mas quis ficar no Fluminense. Como retribuição, o Tricolor exerceu a prioridade de compra e vai renovar com o jogador por mais três temporadas. O problema é que neste meio tempo, o atual camisa 6 sofreu uma ruptura no ligamento cruzado do joelho direito e não tem previsão para voltar aos gramados. 

Antes de perder Giovanni por contusão, a diretoria já havia contratado Breno Lopes, terceiro reserva no Cruzeiro, por empréstimo. Com a lesão de Giovanni, ganhou a grande oportunidade, mas no quarto jogo pelo Fluminense, sofreu uma fratura no nariz o obrigou a ficar fora por mais de um mês. Já treinando com bola, ainda está longe da forma física ideal e não será relacionado por Eduardo Baptista para o jogo de sábado, contra o Santos.


Giovanni e Breno Lopes eram as primeiras opções para a posição, mas não foram utilizados por Eduardo Baptista (Fotos: Nelson Perez/Fluminense FC)

IMPROVISAÇÕES E APOSTAS NA BASE

Antes de Léo Pelé ser integrado ao elenco profissional, o então técnico Enderson Moreira resolveu improvisar no setor. Primeiro, testou o meia Gustavo Scarpa por ali. O camisa 40 agradou e ficou como dono da posição por algumas rodadas. Quando precisava voltar para o meio, o zagueiro Victor Oliveira era utilizado no setor. Aos poucos, Léo ganhou espaço e conquistou a vaga de vez, mas no seu sexto jogo, sofreu uma fratura e só volta em 2016.

Agora, Eduardo Baptista tem como opção o jovem Ayrton, que vinha atuando no lugar de Léo Pelé na equipe sub-20 e vai se juntar ao elenco em Porto Alegre, onde a delegação ficará até sábado. A estreia como profissional pode acontecer já no domingo, contra o Santos. A outra opção do treinador é improvisar Victor Oliveira no setor, já que Gustavo Scarpa está suspenso.


Ayrton pode ser o novo titular da lateral esquerda tricolor (Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)